» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
979

Motorola Moto G23

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Moto G23 é um dos lançamentos mais recentes da Motorola que chegou ao Brasil juntamente com o Moto E13 no começo de 2023. Ele é um aparelho básico para quem não está preocupado com conectividade 5G ou hardware avançado, mas vem com tela de 90 Hz, câmera de 50 MP e bateria que promete autonomia para o dia todo com folga. Será uma boa compra ou há opções melhores? É isso que vamos descobrir nessa análise do TudoCelular.

Acessórios

O Moto G23 vem em embalagem escura com o logo branco da Motorola e o nome do aparelho em verde. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador de 20W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Chavinha da gaveta do SIM card
  • Guia do usuário
Design e conectividade

A Motorola vem atualizando o design de toda a sua linha para deixar os modelos mais básicos com visual próximo ao dos mais avançados da marca. Ela ainda segue adotando corpo reto com poucas bordas como foi iniciado no antecessor, mas agora modernizou o bloco das câmeras para um visual mais limpo e moderno.

O Moto G23 é um aparelho feito de plástico com boa qualidade de construção. Tanto a traseira quanto as laterais possuem acabamento fosco que deixam o celular menos escorregadio. O problema de tal solução é que faz com que o celular seja um imã de marcas de dedo, especialmente nas cores escuras.

O novo está mais compacto por conta da moldura ao redor da tela ter sido reduzida. É bom ver que a empresa está buscando aproveitar melhor a parte frontal ao invés de alterar o tamanho da tela. Ainda assim, a borda inferior possui o dobro da espessura das demais, como ainda é padrão nesse segmento.

O leitor biométrico vem integrado ao botão de energia na lateral direita. Ele responde bem sem falhas constantes, o que está dentro do esperado. Há entrada para fones de ouvido no topo, enquanto a gaveta híbrida fica na lateral esquerda e permite o uso de dois chips ou um cartão de memória no lugar do segundo SIM.

O Moto G23 vem com Wi-Fi de quinta geração com suporte a redes mais rápidas de 5 GHz e conectividade via Bluetooth 5.1.

Tela e som

O celular básico da Motorola vem com tela de 6,5 polegadas com resolução HD+ e painel IPS LCD com taxa de atualização de 90 Hz. Na teoria pode parecer que a empresa reaproveitou a tela do Moto G22, mas na verdade tivemos pequenos avanços que podem ajudar a justificar o upgrade.

O brilho está um pouco mais forte, o que ajuda no uso fora de casa em dias ensolarados, apesar de ainda estar abaixo do ideal, especialmente comparado a rivais com tela OLED. O contraste também teve pequeno avanço, mas o nível de preto ainda continua alto, o que faz as cores mais escuras parecerem lavadas quando o brilho está no máximo.

É bom ver que a Motorola também aprimorou a calibração de cores e não temos aquele tom azulado da geração passada. A taxa de atualização vem por padrão no modo automático que muda entre 60 e 90 Hz a depender do uso. É possível travar na velocidade que achar melhor se está mais preocupado com bateria ou fluidez.

A parte sonora também recebeu melhorias e agora temos duas saídas de som para áudio estéreo e com suporte a Dolby Atmos. Ele traz vários perfis para escolher para otimizar suas músicas, vídeos, jogos ou podcasts. Também há um perfil inteligente que identifica a fonte do áudio para fazer tal escolha por você.

A potência sonora acabou caindo comparado ao antecessor, apesar da segunda saída de som. Ainda assim, está dentro do que vemos no segmento e entrega bom balanço entre graves e agudos, apesar dos médios continuarem ofuscados como visto na geração anterior.

Desempenho

O Moto G23 vem equipado com Helio G85. É o mesmo chip encontrado em outros celulares básicos da marca, como o Moto G31 e G41. Temos um processador octa-core formado por dois núcleos da série A75 e seis da série A55, o que deve garantir desempenho suficiente para uma experiência agradável com apps populares.


Ele traz os mesmos 4 GB de RAM do Moto G22, mas por conta do processador mais veloz tivemos um ganho notável na experiência multitarefas. Ainda assim, o básico da Motorola sofre para segurar muitos apps abertos ao mesmo tempo. Em benchmarks tivemos um pequeno salto nas pontuações com uma diferença de quase 100 mil pontos no AnTuTu.

O G23 consegue se aventurar com jogos mais exigentes, só não espere rodar tudo na qualidade máxima. No Call of Duty tivemos boa fluidez na qualidade média com anti-aliasing ativado. No PUBG é possível arriscar a configuração HD com gráfico no alto e demais recursos habilitados.

Bateria

É bom ver que a Motorola deixou seu celular básico mais fino nessa geração sem precisar sacrificar a bateria que continua com 5.000 mAh de capacidade. Esse tamanho é suficiente para entregar autonomia para o dia todo e vimos um pequeno ganho no rendimento comparado ao antecessor.


O carregador é o TurboPower de 20W visto no modelo anterior. Curiosamente, acabou levando mais tempo para recarregar, o que pode ser uma limitação da porta USB-C ou do software de gerenciamento de energia e demora 2 horas e 10 minutos para ter a bateria completamente recarregada.


Uma carga rápida de 15 minutos é capaz de recuperar 18% da bateria e 36% em meia hora na tomada.

Câmeras

O Moto G23 vem com câmera de 50 MP, ultra-wide híbrida que ajuda no desfoque de fundo com sensor de 5 MP e uma dedicada para macros com 2 MP. A câmera frontal possui resolução de 16 MP e aqui fica claro que a Motorola decidiu não mexer no hardware do antecessor, com a exceção da câmera ultra-wide que teve a resolução capada.

Como temos o mesmo sensor da geração passada, não espere algum avanço na qualidade das fotos com a câmera principal. O Moto G23 captura boas imagens em locais bem iluminados e apresenta modo noturno eficiente em cenários escuros. Ele prolonga a exposição para capturar mais luz em troca de ruídos mais evidentes.

Principal | Ultra-wide



A ultra-wide apresenta fotos menos nítidas do que antes por conta da perda de resolução. Ela não captura o bom equilíbrio entre brilho e cores visto na principal e tende a suavizar demais as bordas. A faixa dinâmica limitada pode atrapalhar nas fotos no final de tarde, assim como o desfoque de cenário que desativa o HDR e apresenta resultados falhos.

Noturno



Não espere muito da câmera macro, como já vimos em outros celulares com sensor de baixa resolução. Falta nitidez e as cores e contraste estão abaixo do que é visto na câmera principal. Além disso, a falta de foco automático limita a distância que você pode se aproximar.

Desfoque


Macro


A câmera frontal registra boas selfies em locais iluminados e não sofre tanto à noite. Apesar das fotos saírem escuras por conta da baixa abertura focal da lente, não temos muitos ruídos e o desfoque de fundo funciona melhor comparado ao que é realizado com a câmera ultra-wide.

Selfies



A filmadora grava em Full HD a 30 fps com a traseira e frontal. Não há estabilização para lidar com os tremidos, mas o foco é ágil comparado a outros do segmento. A captura de som é apenas mono e a qualidade não é das melhores, o que é decepcionante para um aparelho que traz alto-falantes estéreo com Dolby Atmos.

Software

O Moto G23 sai da caixa com Android 13 com a interface MyUX da Motorola que traz poucas modificações e apps pré-instalados. No momento em que testamos o aparelho, ele não estava tão atrasado no pacote de segurança. A empresa deve lançar pelo menos uma atualização do Android, só não espere que isso aconteça pouco tempo depois do Android 14 ser lançado.

Os clássicos gestos estão disponíveis nas configurações do sistema e permite ligar a lanterna ao sacudir o celular ou ativar rapidamente a câmera ao girar o aparelho. Os recursos são os mesmos vistos em outros recentes lançamentos com algumas opções de customização da interface, mas nada tão avançado como na linha Galaxy.

Rivais

O Moto G23 é uma melhor escolha do que os rivais da Samsung e realme? O Galaxy A13 peca por ter tela de 60 Hz e alto-falante mono, porém foi mais rápido em nosso teste de velocidade focado no multitarefas e sua bateria dura mais. O modelo coreano é um pouco melhor em fotos e tem modo retrato mais eficiente.

O realme C35 vem com tela maior com resolução Full HD, mas também fica devendo uma taxa de atualização superior para maior fluidez. O som mono compromete a imersão em filmes e jogos, mas o desempenho é bastante ágil e a bateria dura bem, apesar de ficar um pouco abaixo do G23. O modelo chinês ganha em fotos diurnas e fica atrás do rival ao fotografar em locais com pouca luz.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes:

  • Design moderno
  • Tela de 90 Hz
  • Som estéreo
  • Autonomia de bateria

Pontos fracos:

  • Desempenho abaixo da média
  • Tela com brilho baixo
  • Câmera ultra-wide inferior ao antecessor
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Seu custo-benefício não é dos melhores e até encontrará outras opções da Motorola no mesmo preço

Embalagem e características

Embalagem vem com carregador de 20W e capinha de silicone

Comodidade

O Moto G23 é um celular confortável de usar com uma mão, apesar de ser um pouco escorregadio

Facilidade de uso

É o mesmo Android limpo da Motorola com os gestos já conhecidos pelos fãs da marca

Multimídia

Quesito multimídia evoluiu, mas poderia ter tela com brilho mais forte

Votação Geral

O Moto G23 é um celular simples para quem não liga muito para câmeras ou conectividade 5G

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto G23