» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.529

Nokia 5.3

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

A HMD Global trouxe a Nokia de volta ao Brasil no início de 2020 e chegou apostando no Nokia 2.3, um aparelho tão básico que era difícil recomendá-lo no lugar de rivais da Samsung, LG e Motorola. Agora temos o segundo lançamento da empresa em nosso mercado, sendo o Nokia 5.3 um modelo mais avançado, porém que custa muito mais. Será que este aposta em melhor custo-benefício ou ainda temos melhores opções na concorrência? Vamos conferir.

Acessórios

Caixa do Nokia 5.3 é mais quadrada, comparada a de celulares de outras marcas, e traz estampado os dois anos de atualizações do sistema. Além do celular, você receberá os seguintes acessórios:

  • Carregador de 10W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Chavinha da gaveta do SIM Card
  • Guia de uso
  • Capinha de silicone
Design e construção

O Nokia 5.3 é um celular com acabamento simples feito em plástico e que chega ao mercado nacional em duas opções de cores. Além dessa cinza há uma verde. Por mais que tenha uma tela grande, ele não chega a ser tão volumoso ou pesado quanto alguns rivais.

O design está um pouco datado, com entalhe em formato de gota, o que remete a aparelhos lançados em 2019. As suas bordas não são muito largas, porém há o nome da Nokia estampado abaixo da tela.

As câmeras ficam organizadas em círculo na traseira, logo acima do leitor biométrico. O sensor não é dos mais ágeis, porém tem boa precisão. Na lateral esquerda há um botão dedicado ao Google Assistente, que não pode ser remapeado para outra função. O mais inusitado é ter LED de notificações no botão de energia.

A posição da entrada para fones de ouvido no topo do aparelho pode ser um inconveniente para alguns. Porém, esse modelo corrige falhas vistas no Nokia 2.3 e temos Wi-Fi 5GHz e entrada USB-C. O Bluetooth poderia ser 5.0. Pelo menos há NFC, que normalmente está ausente em alguns intermediários da Samsung, Motorola e LG.

Tela e som

O Nokia 5.3 não é um celular que vai te conquistar pelo design e muito menos pela tela. O painel LCD tem brilho abaixo da média e pode dificultar a visibilidade em locais com forte iluminação. Fica claro que a Nokia economizou na escolha do painel, faltando uniformidade no brilho com imagem mais escura nas bordas.

O nível do preto e contraste são razoáveis, enquanto a reprodução de cores tende muito para tons frios. Cores como branco ou cinza parecem azul na tela do Nokia 5.3. Já vimos muito isso nos celulares intermediários da Xiaomi e LG. A resolução apenas HD+ pode ser um ponto negativo para alguns, mas não chega a atrapalhar a experiência.

O alto-falante entrega potência razoável com maior foco nos agudos, mas com o volume no máximo há distorção perceptível. Fica claro que o Nokia 5.3 não é um celular para quem busca uma boa experiência multimídia.

Nokia manda um fone basicão na caixa que parece com o que vem nos modelos de entrada da Samsung. Não espere muito da qualidade sonora, mas pode ser um quebra-galho em locais onde você não consiga ouvir o som saindo do alto-falante do aparelho.

Desempenho

O Nokia 5.3 vem equipado com Snapdragon 665 e 4 GB de RAM, sendo esta uma configuração bastante comum no segmento de intermediários. O Android puro ajuda a tirar proveito do hardware e temos bom desempenho na execução de vários apps e jogos. Só poderia ser mais eficiente no multitarefas, porém ainda foi melhor que muito intermediário de 2020.

Em benchmarks empata com o Moto G9 Play equipado com Snapdragon 662. Os dois possuem especificações parecidas em CPU e GPU, então não foi nenhuma surpresa ver a mesma pontuação no AnTuTu. Porém comparado ao chip da MediaTek do Redmi Note 9 vimos desempenho um pouco abaixo, mas fica acima do Helio P65 do Galaxy A31.


A GPU Adreno 610 consegue lidar bem com jogos atuais na resolução HD. Claro, não espere fluidez impecável no PUBG na qualidade Alta ou mesmo 60 fps no Call of Duty. Porém todos os games que testamos rodaram sem esforço. O Asphalt 9 apresentou pequenos congelamentos, mas o game de corrida da Gameloft vem sofrendo com falta de otimização ultimamente.

Câmeras

Qualquer intermediário atual traz câmera de 48 MP, mas a Nokia pensa diferente e no 5.3 temos um sensor mais simples de apenas 13 MP. Claro que resolução não quer dizer muita coisa e o que o importa é o que o conjunto consegue fazer com isso. Ainda temos mais três câmeras, sendo um macro, uma para desfoque e uma ultra-wide.

A câmera do Nokia 5.3 é bastante inconsistente. Em alguns momentos temos fotos mais escuras e em outros as cores saem bastante saturadas. Isso também acontece com a ultra-wide que às vezes registra fotos melhores, já em outros momentos fica muito abaixo da câmera principal.

Principal | Ultra-wide




O maior problema está em locais com muita vegetação. A câmera não consegue lidar bem com folhagens e muitas vezes temos apenas um borrão verde de fundo. As sombras também saem mais escuras do que deveriam e no final o detalhamento das fotos é sacrificado.

Fotografar à noite com o Nokia 5.3 é complicado. Sua câmera é tão limitada quanto a de um celular de entrada. Até há modo noturno, mas ele é praticamente inútil. As fotos saem muito escuras e com excesso de ruídos. Dificilmente você conseguirá enxergar algo registrado pela ultra-wide.

Noturno



A câmera macro tem resolução baixa e isso limita a nitidez das fotos e faz falta um foco automático. A de desfoque até que faz um bom trabalho, mas acaba deixando as fotos mais escuras.

Macro



O que esperar da câmera de selfies de apenas 8 MP? A baixa resolução compromete o registro de pequenos detalhes da pele e tudo parece suavizado. De dia até conseguirá boas fotos para publicar nas redes sociais, mas basta a luz cair para a nitidez ser ainda mais comprometida. Pelo menos as fotos não são tomadas por ruídos.

Selfies




A filmadora grava em 4K com qualidade decente. O foco é bastante lerdo e não fica melhor ao filmar em Full HD. Não há sistema de estabilização, então espere por vídeos tremidos. A captura de áudio é estéreo, porém a qualidade do som é medíocre. As câmeras ultra-wide e macro filmam apenas em HD, enquanto a frontal grava em Full HD com bastante tremidos. Se busca um celular para filmar à noite, então é melhor esquecer esse aqui.

Bateria

A bateria de 4.000 mAh até que rende bem comparado a outros com Android One e dura o dia todo sem esforço, só não espere dois dias de bateria como temos em intermediários da Motorola ou Xiaomi.


O que decepciona no Nokia 5.3 é o tempo de recarga. O aparelho vem com carregador fraco de apenas 10W que leva mais de 3 horas para ir de 0 a 100%. Se você estiver com pressa em sair de casa, terá apenas 14% de bateria recuperada com 15 minutos de carga. Já com uma 1h na tomada o Nokia 5.3 recupera apenas 48%.

Software

O destaque do Nokia 5.3 fica para o seu software. Ele vem com Android One na versão 10 e a HMD Global garante duas versões do robozinho e até três anos de atualizações de segurança. Infelizmente, é comum vermos fabricantes como Motorola, LG e Xiaomi lançando apenas uma atualização do Android para seus intermediários, onde apenas Samsung vai além disso em modelos selecionados.

O software do Nokia 5.3 é bastante limpo e vem apenas com os apps obrigatórios do Google. A experiência no geral é boa, mas não espere fluidez impecável nesse hardware. O que decepciona é o gerenciamento de RAM. É algo que pode ser melhorado via software para tirar melhor proveito do Android One.

Rivais

O Nokia 5.3 chegou ao mercado nacional por salgados R$ 1.900, e como você deve ter percebido, ele não vale esse preço. Moto G9 Play e Galaxy A31 seriam boas alternativas. Eles entregam maior autonomia de bateria e possuem câmeras melhores. Apenas em desempenho ficam abaixo do Nokia no multitarefas.

O Redmi Note 9 pode ser encontrado na mesma faixa de preço e também perde para o Nokia apenas no multitarefas, mas vai melhor em jogos. O intermediário da Xiaomi não tem uma câmera exemplar, porém não é tão inconsistente quanto a do Nokia 5.3.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Desempenho acima da média
  • Android One com anos de atualizações
  • Boa autonomia de bateria

Pontos fracos

  • Experiência multimídia
  • Tempo de recarga
  • Preço salgado pelo conjunto
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Custo-benefício no lançamento é bastante ruim; só valerá a pena quando estiver pela metade do preço

Embalagem e características

Embalagem traz fone muito básico e carregador fraco, mas vem com capinha

Comodidade

Nokia 5.3 é um celular de plástico com acabamento fosco que não escorrega tanto

Facilidade de uso

O Android One é praticamente puro e traz só o essencial do sistema Google

Multimídia

Tela e som são bem medianos e não competem com rivais da Samsung e Motorola

Votação Geral

Nokia 5.3 é um celular esquecível diante de tantas opções melhores

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Nokia 5.3