» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
531

Philco Hit P8

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

A Philco ampliou a sua linha de celulares agora em meados de 2022 com o lançamento do Hit P8, um modelo mais acessível que chega para completar a família formada pelos modelos P10, P12 e P13. Como já deu para imaginar, esse é o mais barato e também o mais simples da linha e com isso deve atrair aqueles que estão em busca de um celular reserva ou que não estão interessados em pagar caro num telefone. O que o novo Hit da Philco tem a oferecer? É isso que a análise do TudoCelular vai revelar.

Acessórios

O Hit P8 vem em embalagem de papelão firme e muitas informações sobre o produto, incluindo destaque de especificações e imagens dele. Além do celular você recebe:

  • Carregador de 10W
  • Cabo micro USB
  • Capinha protetora de silicone
  • Película protetora
  • Fone de ouvido
  • Manuais
  • Bateria removível de 3.000 mAh
Design e conectividade

Começamos pelo design, e como estamos analisando um modelo básico, não há muito o que comentar por aqui. Celulares baratos não empolgam neste ponto e o Hit P8 é até um pouco mais decepcionante que os demais. Ele tem moldura mais larga que outros modelos de entrada e até mesmo a borda ao redor do entalhe em gota acaba roubando um grande espaço da tela.

A larga moldura deixa o Philco Hit P8 do mesmo tamanho de outros aparelhos com telas maiores, como é o caso do G Max 2 da Multilaser e C11 da realme, ambos com quase meia polegada extra. Em termos de espessura, ele não chega a ser dos mais finos, mas ainda está dentro dos demais do segmento.

O design traseiro do Hit P8 é um pouco curioso. À primeira vista temos a impressão de que o básico da Philco possui um conjunto com quatro câmeras, mas na verdade temos apenas duas, enquanto os outros sensores são de bloqueio de luz, como alega a fabricante. Um dos furos do cooktop abriga o flash simples em LED único e o leitor de digitais também faz parte do bloco maior levemente mais saltado.

O sensor tem uma boa área para garantir alta eficiência no reconhecimento da digital. Não chega a ser o leitor biométrico mais ágil do segmento, mas ainda é comum ver celulares básicos limitados apenas a reconhecimento facial. Aliás, esta segunda opção também está presente no Hit P8.

O novo básico da Philco é um dos poucos lançamentos recentes que ainda possui tampa traseira removível e isso permite dar acesso à bateria, assim como também aos dois slots para chips e para cartão microSD. O modelo possui armazenamento interno de 32 GB ou 64 GB, sendo possível expandir para 512 GB com o uso cartão de memória.

Há entrada para fones de ouvido no topo, enquanto na parte inferior tem o microfone, entrada micro USB e alto-falante. O botão de energia e o duplo de controle de volume ficam do lado direito do aparelho. As laterais possuem acabamento em plástico fosco, diferente da traseira com visual brilhante que mancha e risca com facilidade. Pelo menos a Philco manda capinha e película na caixa.

Na parte de conectividade temos o básico com Wi-Fi no padrão N, Bluetooth 4.2 e nada de NFC ou sensores como giroscópio e bússola digital. Há suporte a rádio FM, caso este ainda seja um extra bacana para você.

Tela e som

O Philco Hit P8 tem tela de 6 polegadas com resolução HD+ e painel IPS LCD de 60 Hz. Considerando que estamos falando de um celular de baixo custo, essa configuração é até esperada já que são raros os aparelhos com tela AMOLED ou com taxa de 90 Hz abaixo dos R$ 1 mil.

Apesar do painel simples, a tela consegue alcançar um bom nível de brilho e fica acima até de aparelhos um pouco mais caros da Motorola e Xiaomi. O nível de contraste é decente e ele vem por padrão no modo de calibração automático que altera o tom das cores a depender da iluminação do local.

Há opções para turbinar o contraste e deixar as cores mais saturadas, assim como um perfil padrão com cores mais equilibradas e próximas da realidade. Também é possível customizar o tom de branco para deixar as cores mais frias ou quentes ao gosto de cada um.

O único alto-falante na parte inferior não empolga. A potência sonora está abaixo do segmento e a qualidade do som também não é das melhores. O Hit P8 foca muito nos agudos deixando o som distorcido ao mesmo tempo em que ao tentar reproduzir graves só terá áudio abafado.

Ele vem com fone de ouvido na caixa que ajuda a contornar tais problemas. É um modelo simples com ponteira emborrachada que traz bom conforto ao mesmo tempo que serve para ouvir músicas e realizar chamadas. Há um botão dedicado para atender ligações no cabo.

Desempenho

O P8 vem com plataforma SC9863A da Unisoc, a mesma presente em outros celulares da Philco e também em modelos básicos da Multilaser e realme. Enquanto os aparelhos mais caros da Philco trazem 4 GB de RAM, no P8 temos apenas 3 GB. Será que esta combinação garante um bom desempenho?

Em nosso teste de velocidade não tivemos um bom resultado. Ele demora para abrir alguns apps e não consegue segurar muitos abertos em segundo plano. O P8 não apenas fica abaixo de outros da Philco, como também come poeira para a concorrência. É um celular básico para quem não usa muitos aplicativos ao mesmo tempo.


Em benchmarks não há muito o que se empolgar. Como este hardware da Unisoc é antigo, não terá números impressionantes em testes sintéticos. Pelo menos ele fica na média de outros com a mesma plataforma e no caso do AnTuTu ficou pouco acima dos 80 mil pontos.

E nos jogos? O P8 é um celular para jogadores ocasionais. Ele consegue rodar bem títulos mais leves como Subway Surfers, mas acaba engasgando no PUBG mesmo com o gráfico na opção suave. Todos os recursos extras para melhoria de gráficos ficam indisponíveis para este aparelho e mesmo assim ele acaba esquentando consideravelmente ao jogar por muito tempo.

Bateria

O P8 traz bateria menor que os demais da linha e a desculpa para ter apenas 3.000 mAh está no fato de que sua bateria é removível. É pouco para os dias atuais? Podemos dizer que sim, mas a Philco até que acaba compensando na otimização de software e todos que testamos da marca não chegam a decepcionar em autonomia.

Se os 3.000 mAh forem poucos para o seu perfil de uso, você poderá carregar uma bateria extra na mochila e fazer a troca rapidamente. No final das contas, acaba sendo mais prático do que andar com o carregador ou com um powerbank e ter que esperar o celular carregar.

Por falar em recarga, o carregador que vem na caixa é o mesmo de 10W dos demais modelos da Philco. Ele acaba levando o mesmo tempo para carregar que os modelos superiores, por mais que a bateria seja menor neste. A culpa pode estar na conexão micro USB que limita mais o carregamento que a USB-C.

Em uma carga rápida de 15 minutos terá 17% da bateria recuperada e 33% em meia hora. Está dentro do esperado para um carregador de 10W sem carregamento acelerado.

Câmeras

O conjunto fotográfico do Hit P8 é quase o mesmo do irmão P10, com a diferença que este perde a câmera ultra-wide e mantém apenas o sensor principal de 13 MP e a câmera macro de 2 MP. A frontal é mais fraca e aqui temos um sensor de apenas 5 MP contra 8 MP dos modelos mais caros da marca.

Celulares baratos só conseguem boas fotos em situações favoráveis de luz. O Hit P8 sofre até neste ponto e você precisará se esforçar para conseguir boas fotos com ele. Mesmo em dias ensolarados há ruídos visíveis, contraste abaixo do ideal, cores excessivamente saturadas e alcance dinâmico limitado.

Noturno



Fotos noturnas perdem ainda mais nitidez, ficam completamente tomadas de ruídos e apresentam texturas de baixa qualidade. Só conseguirá fotos decentes ao ficar próximo de uma boa fonte de luz e mesmo assim ainda terá que lidar com cores distorcidas e contraste longe do ideal.

A câmera macro tem sensor com resolução muito baixa para conseguir capturar imagens nítidas e cheias de detalhes. Há ruídos bastante visíveis, mesmo em fotos tiradas em plena luz do sol. O HDR entra em ação na tentativa de equilibrar as cores, mas ainda temos fotos com excesso de saturação, especialmente tons vermelhos.

Macros



E selfies? A câmera frontal também peca no contraste e exagera na saturação, mas até conseguirá fotos decentes para publicar nas redes sociais. Ao fotografar à noite terá selfies granuladas e de baixa qualidade no modo padrão ou poderá ativar o HDR que ajuda a corrigir alguns problemas, mas acaba deixando as selfies mais escuras.

Selfies



Por fim a filmadora, que grava em Full HD com a traseira e apenas HD com a frontal. Em filmagens diurnas terá vídeos a 30 fps, enquanto ao gravar em locais mais escuros notará uma queda considerável na fluidez.

Falta estabilização para lidar com tremidos, mas celulares básicos não trazem tal recurso. Pelo menos o foco é rápido em locais bem iluminados, enquanto sofre um pouco ao gravar à noite. A captura de som é apenas mono e bastante abafada, o que pode ser o maior ponto fraco da filmadora do Hit P8.

Software

O P8 vem com Android 11 e traz interface bastante próxima do Android padrão e não vem com recursos extras, sendo ainda mais simples que a interface MyUX da Motorola. A parte decepcionante está no descaso da Philco em manter o software atualizado e no momento que testamos o P8 ainda estava com pacote de segurança de setembro de 2021.

A Philco também não se compromete com atualizações do Android. Então se você compra celular esperando que o aparelho seja atualizado para uma nova versão do robozinho futuramente, pode esquecer o Hit P8.

No final das contas, o software do P8 traz apenas o essencial para quem busca um celular básico sem firulas ou recursos inúteis. Ele não impressiona em velocidade, mas também não vai arruinar sua experiência de uso diário com lentidão ou travamentos.

Rivais

Como deu para perceber, o Hit P8 é um celular simples para quem não liga muito para câmera ou não pretende jogar games pesados. Quais alternativas temos na mesma faixa de preço?

O G Max 2 da Multilaser vem com o mesmo hardware da Unisoc, mas traz 4 GB de RAM para uma melhor experiência multitarefas, além de ter muito mais espaço de armazenamento. Ele tem tela maior, mas também peca na parte sonora. A bateria dura bem e até recarrega um pouco mais rápido que a do Philco, enquanto as câmeras são um pouco melhores.

O realme C11 é outro básico com hardware similar, porém traz apenas 2 GB de RAM. De qualquer forma, ainda foi um pouco mais ágil em nosso teste multitarefas. A tela é maior, porém com brilho mais fraco. Por outro lado, o C11 compensa na qualidade sonora muito superior ao da Philco. Ele entrega ótima bateria, apesar de passar mais tempo na tomada. Há apenas uma câmera traseira que registra fotos e vídeos melhores.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela com bom nível de brilho
  • Bateria removível
  • Software limpo
  • Preço acessível

Pontos negativos

  • Desempenho fraco
  • Som baixo e distorcido
  • Câmeras bastante limitadas
  • Software sem suporte a atualizações

Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Para quem busca um celular básico e acessível, o Hit P8 pode ser uma opção interessante

Embalagem e características

Embalagem vem completa com capinha de silicone, película para a tela e fone de ouvido confortável

Comodidade

É um celular grande e com bordas largas, mas traz capinha na caixa que o protege de quedas e riscos

Facilidade de uso

Android praticamente puro sem muitos extras e traz apenas o essencial para usar; só peca um pouco em fluidez por conta do hardware fraco

Multimídia

Tela LCD tem bom nível de brilho, mas peca nas cores; o som é mono, baixo e distorcido

Votação Geral

O P8 é o mais simples da linha Hit da Philco e entrega uma experiência honesta pelo preço, apesar de pecar muito em câmera

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Philco Hit P8