» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
10.799

Samsung Galaxy Z Fold 4

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

O Galaxy Z Fold 4 chegou com poucas mudanças e traz apenas pequenos refinamentos para o celular dobrável da Samsung que foca em produtividade e tenta atrair o público em busca de um híbrido entre celular e tablet. Entre as novidades nesta geração temos uma nova câmera, processador mais potente e leve refinamento no design. Será suficiente para ser considerado um upgrade? Vamos conferir.

Acessórios

O Galaxy Z Fold 4 vem em embalagem mais compacta que seu antecessor devido à redução nos acessórios inclusos:

  • Cabo no padrão USB-C nas duas pontas
  • Manuais do usuário
  • Chavinha para abrir gaveta do cartão SIM
  • Película de proteção já aplicada na tela
  • Carregador 25W a parte
Design e conectividade

Ao olhar para o Galaxy Z Fold 4 temos a impressão de que nada mudou. O design é idêntico ao antecessor, apenas com pequenas mudanças nas dimensões: o novo foi encurtado e ficou mais largo. Em termos de espessura as diferenças são mínimas, assim como o peso que foi reduzido em poucas gramas.

A redução na altura do aparelho faz com que ele tenha uma aparência mais quadrada quando aberto, o que o torna mais indicado para o consumo de certos conteúdos. Ainda há suporte a S Pen para aprimorar a produtividade com a tela grande, mas assim como no modelo anterior, é preciso usar uma canetinha especial.

A tela maior manteve as polegadas de antes, assim como segue construída por um substrato de vidro bastante fino protegido por uma película plástica. Ela acaba marcando se fizer pressão e ainda é possível notar o vinco no meio do aparelho onde fica o mecanismo de dobra. Pelo menos o vidro externo evoluiu e agora é o Gorilla Glass Victus Plus da linha S22.

O corpo de metal é feito do mesmo alumínio de alta resistência, enquanto as engrenagens da dobradiça foram aprimoradas para maior durabilidade no abre e fecha, apesar de ainda haver aquele vão entre as duas partes. A Samsung alega que esse espaço entre as duas bandas do Z Fold 4 é essencial para garantir que o aparelho tenha certificado IPX8 para proteção contra água, algo ausente no Mix Fold 2 da Xiaomi.

A tela interna segue sem furo para a câmera de selfies, pelo menos ele está escondido por baixo do painel e não fica tão visível quanto antes. Claro, se você colocar a tela contra a luz ou olhar de muito perto perceberá que a câmera está lá. A outra para selfies segue com furo tradicional na tela externa, enquanto o conjunto traseiro é formado por três câmeras e mantém o design em bloco vertical acompanhado de um simples flash em LED.

A tela externa ficou menos estreita, apesar da mudança nas dimensões não impactar no tamanho do painel em polegadas. O importante é que agora ficou mais agradável usar o teclado virtual com o Fold fechado. O leitor biométrico segue na lateral direita incorporado ao botão de energia. Ele responde rápido ao mais leve toque, mas continua dificultando a vida dos canhotos ao manusear o Fold aberto.

O botão de volume fica logo acima, enquanto a gaveta para os dois chips está do lado esquerdo do aparelho e mais uma vez não permite expandir o armazenamento com cartões de memória. Há dois alto-falantes, um em cada extremidade, assim como porta USB-C na parte inferior e um microfone, além de outros três na parte de cima.

Em conectividade não tivemos mudanças, o novo mantém o suporte a Wi-Fi 6e, Bluetooth 5.2, NFC e 5G. Pelo menos o carregamento sem fio agora chega a até 15W de potência, enquanto o carregamento reverso para compartilhar a bateria com acessórios continua limitado a 4,5W.

Tela e som

O Fold continua com duas telas e ambas com o mesmo tamanho de antes; o que mudou é a proporção. O painel maior herda a tecnologia Dynamic AMOLED 2X do antecessor, assim como a taxa de 120 Hz, o suporte a HDR10+ e o brilho forte. A resolução sofreu uma leve alteração para se adequar ao novo formato mais quadrado da tela, mas ainda temos Quad HD+.

Se nas especificações não tivemos muitas novidades, o novo painel da Samsung estreia a segunda geração dos materiais que compõem os componentes da tela, que a sul-coreana chama de Eco2 Plus. Há a promessa de menor consumo de energia, mesmo com o brilho sendo um pouco mais forte nesta geração.

A tela externa também mantém o painel Dynamic AMOLED 2X de 120 Hz, mas assim como o interno também teve a resolução alterada devido à mudança do novo formato e agora traz 904 x 2316 pixels, uma resolução levemente superior à do Fold 3. O nível de brilho também foi aprimorado, especialmente com o recurso Brilho Extra ativado que força a entregar mais luz quando não está no modo automático.

Há dois perfis de calibração com o Vívido sendo o padrão e exibindo cores mais saturadas, mas no perfil Natural terá cores bastante próximas do considerado ideal. Também é possível escolher entre dois modos para a taxa de atualização da tela: o adaptável que vem por padrão permite usar os 120 Hz para maior fluidez, enquanto o padrão impede que a tela passe de 60 Hz para ajudar a economizar bateria.

Em ambos os modos, o Fold 4 tende a reduzir a taxa de atualização para menos de 60 Hz em conteúdo estático ou quando o usuário fica por um tempo sem tocar na tela. Isso aliado ao processo de fabricação com novos materiais mais eficientes vão ajudar a bateria a durar mais.

Os alto-falantes ficam nas mesmas posições do antecessor, mas a Samsung fez algumas modificações para garantir melhor qualidade sonora no Fold 4. Os graves estão muito mais presentes, diferente do antecessor em que os médios se destacavam demais. Os agudos também estão bem equilibrados e resultam em boa experiência com filmes e jogos.

O ponto negativo fica para a potência máxima, ao forçar mais os graves foi preciso controlar mais o volume para evitar distorção quando no máximo. Ele não apenas fica abaixo do Fold 3 em potência sonora, como também perde para o Galaxy S22 Ultra.

Desempenho

O Galaxy Fold 4, assim como o Flip 4, vem equipado com Snapdragon 8 Plus Gen 1, uma versão turbinada da plataforma presente na linha Galaxy S22. Este modelo da Samsung foi lançado em três configurações, sendo a mais básica com 256 GB, a intermediária com 512 GB e a mais robusta com 1 TB de armazenamento. Em todas temos os mesmos 12 GB de RAM.

O novo hardware mais potente faz diferença na prática? O Fold 4 não foi apenas mais rápido em nosso teste de velocidade focado no multitarefas comparado ao S22 Ultra como também supera com certa folga o seu antecessor com Snapdragon 888. Isso não faz dele o Android mais rápido que testamos e também o deixa abaixo do iPhone 13 Pro Max, mas não há o que reclamar da experiência multitarefas.


O Fold 4 conquista números altos em ferramentas de benchmarks e no caso do AnTuTu conseguimos passar dos 850 mil pontos, o que o coloca no nosso top 3 atualmente ficando atrás apenas do Edge 30 Pro e realme 2 GT Pro. Claro que isso vai depender muito de cada ferramenta e em alguns testes o iPhone 13 Pro Max ainda é melhor.

O top coreano também é ótimo em jogos e a tela grande ajuda bastante a ter uma experiência mais imersiva. Call of Duty rodou na qualidade Muito Alta, mas ao ativar a Taxa de Quadros no Ultra a resolução acaba caindo, talvez por alguma incompatibilidade. No PUBG foi possível jogar com tudo no máximo com total fluidez, assim como games mais tradicionais como Asphalt 9 rodam sem qualquer engasgo.

Bateria

Não foi dessa vez que a Samsung turbinou a bateria do Fold e temos os 4.400 mAh da geração anterior. Porém, como temos uma tela fabricada com materiais mais eficientes e a nova plataforma da Qualcomm consome menos energia do que o Snapdragon 8 Gen 1 e o 888 do Fold 3, vemos que a autonomia foi favorecida.


Em nosso teste padronizado conseguimos uma duração de 20% a mais comparado ao antecessor, isso em uso moderado com redes sociais, vídeos e um pouco de jogos. O Fold 4 é capaz de passar o dia todo longe de tomadas e conquistou um sólido desempenho de 22 horas e meia em nosso teste, ficando empatado com o S22 Ultra que tem 600 mAh extras de bateria.

O Fold 4 tem carregador padrão de 25W, o mesmo de outros modelos top de linha da Samsung, mas não traz suporte a carregador de 45W como no S22 Ultra. A parte decepcionante é que ele demora mais de 1 hora para recarregar, enquanto já tem celular chinês por um quarto do valor que recarrega em menos de meia hora.


Com uma carga rápida de 15 minutos terá 29% de bateria para usar e pouco mais da metade com meia hora na tomada.

Câmeras

O conjunto fotográfico do Fold 4 é o mesmo encontrado no Galaxy S22 e S22 Plus. A câmera principal traz sensor de 50 MP, a ultra-wide tem 12 MP e a teleobjetiva tem sensor de 10 MP com zoom óptico de 3x. A frontal externa também é a mesma dos outros modelos da Samsung e vem com sensor de 10 MP para capturar as selfies, enquanto a câmera interna é a mesma de 4 MP do Fold 3.

A câmera principal impressiona em fotos diurnas. Ela captura cores vibrantes, mas não ao ponto de exagerar na saturação, acerta no balanço de branco, tem contraste acentuado que contribui para uma aparência mais agradável nas fotos sem matar os detalhes das sombras. É bom ver que a Samsung veio refinando o software desde o lançamento da linha S22.

Principal | Ultra-wide




A ultra-wide pode não ser a câmera mais impressionante do segmento, porém captura fotos de qualidade e apresenta cores similares às da principal. Assim, você pode alternar entre as duas a qualquer momento e capturar mais dos cenários sem medo de perder qualidade ou ter fotos com pior equilíbrio de luz e cores.

O Fold 4 também se sai bem em cenários escuros. Sua câmera principal continua capturando muitos detalhes, cores precisas, alto contraste e HDR eficiente que faz o balanço de cores entre partes claras e escuras para entregar imagens consistentes. Há modo Noturno que é ativado automaticamente quando detecta que o local é muito escuro, mas é possível ativá-lo manualmente também.

Noturno



Fold 4 vs Fold 3 vs iPhone 13 Pro Max


Como a ultra-wide possui uma menor abertura focal, ela tende a sofrer mais em locais escuros, como é comum em qualquer celular. A boa notícia é que o modo noturno automático ativa com maior frequência com esta câmera e muitas vezes vemos fotos mais claras ao usar a ultra-wide, o que normalmente é o oposto visto em outros celulares.

Macro (Fold 4 vs iPhone 13 Pro Max)


Neste ponto ele não é apenas melhor do que o Fold 3 como também registra fotos mais nítidas e com melhores cores que o iPhone 13 Pro Max. Por outro lado, o modelo da Maçã ainda tem melhor HDR para fotos diurnas e a falta de foco automático na ultra-wide limita a sua capacidade na hora de fazer macros.

HDR (Fold 4 vs iPhone 13 Pro Max)


A nova câmera teleobjetiva permite capturar o que está mais distante com melhor nitidez do que antes e consegue competir bem com o zoom do iPhone. Porém, o top da Apple ainda é melhor em zoom à noite ao registrar menos ruídos e melhores cores.

Zoom (Fold 4 vs Fold 3 vs iPhone 13 Pro Max)


A frontal entrega selfies tão boas quanto o antecessor e até registra cores mais naturais que seu rival da Apple. Claro, isso quando usamos a câmera externa, já que a interna ainda precisa evoluir muito. Por mais que a Samsung alegue que as mudanças no painel interfiram menos na qualidade, o Fold 4 ainda peca bastante em selfies noturnas.

Selfies (câmera externa vs interna)


Neste caso, é melhor simplesmente deixar o celular aberto e usar a câmera traseira para selfies com a tela frontal servindo como guia. Pode ser um pouco desconfortável fotografar assim, mas terá as melhores fotos, sem falar que ainda terá a ultra-wide para selfies em grupo.

Selfies (conjunto traseiro)



A câmera principal captura vídeos em 8K a no máximo 24 fps, enquanto a teleobjetiva e frontal externa filmam em 4K a no máximo 60 fps e ultra-wide fica limitada a apenas 30 fps. A câmera interna grava apenas em Full HD e captura vídeos com qualidade bastante inferior.

A qualidade na captura de vídeo com as demais câmeras é boa, mas nada impressionante. A estabilização funciona bem ao reduzir ao máximo os tremidos, enquanto o foco é ágil, mas não tanto quanto na linha S22. A captura de som é limpa e bastante nítida.

Software

O Galaxy Z Fold 4 vem com Android 12L, uma versão modificada do Android 12 voltada para celulares dobráveis e tablets. A versão do sistema da Samsung é a One 4.1.1, uma atualização mais recente que a 4.1 presente nos demais aparelhos da linha Galaxy e traz alguns extras específicos para membros da linha Z.

O que muda nesta versão? Basicamente terá tudo que está presente no Galaxy S22 Ultra, incluindo suporte à S Pen. Claro, tem que ser a canetinha específica para o Fold, mas poderá usar a que foi lançada com o antecessor. A novidade mesmo fica para a nova barra de ferramentas na parte inferior, bem parecida com a que temos no Dex.

Há os tradicionais atalhos do sistema, assim como ficam os ícones dos apps em uso. Para alternar entre eles basta tocar no respectivo ícone ou então arrastá-lo para a parte superior e abrir aquele aplicativo em tela dividida. Você pode deixar dois apps abertos meio a meio na vertical ou horizontal, assim como abrir mais de dois ou mesmo vários em modo janela.

Se mesmo assim você precisar de mais espaço para ampliar sua experiência multitarefas, há o Dex completo para ser usado conectado em um monitor via cabo ou então em uma TV via Wi-Fi. O menu lateral com vários atalhos, assim como todos os recursos da S Pen estão presentes no Fold 4 para uma experiência bastante completa.

Rivais

Com quais celulares o Fold 4 chega a competir no Brasil? O dobrável da Samsung está sem rivais por aqui, então vamos compará-lo com as opções mais caras da própria Samsung e Apple.

O Galaxy S22 Ultra também tem suporte a S Pen e vem com os mesmos recursos, com exceção da nova barra de ferramentas que aprimora o multitarefas. O modelo dobrável foi mais rápido em nosso teste de velocidade, empatou em bateria, rivaliza bem em câmera apesar de perder no zoom, mas cobra bem mais caro pelo fato de ser um celular dobrável.

E comparado ao iPhone 13 Pro Max? O modelo da Maçã compete bem em multimídia com som mais potente, entrega melhor desempenho no multitarefas, sua bateria dura muito mais e suas câmeras são melhores em determinados cenários, enquanto o Fold 4 captura melhores fotos em algumas situações. Sem falar da grande diferença de preço.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Desempenho ágil
  • Qualidade sonora
  • Boa bateria
  • Barra de tarefas aprimora experiência

Pontos fracos

  • Design sem grandes mudanças
  • Tempo de recarga poderia ser melhor
  • Poderia ter câmeras do Galaxy S22 Ultra
  • Preço ultra salgado
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Seu custo-benefício não é dos melhores se comparar com celulares tradicionais, mas aparelhos dobráveis ainda são bastante caros

Embalagem e características

Embalagem vem só com o básico, mas é possível solicitar o carregador no site da Samsung

Comodidade

É um celular grande quando aberto, mas até confortável de usar quando fechado

Facilidade de uso

One UI ganhou nova barra de ferramentas que aprimora o multitarefas

Multimídia

Tela tem ótima qualidade e som apresenta bom equilíbrio, apesar de não ser tão potente quanto alguns celulares mais baratos

Votação Geral

O Galaxy Fold 4 apresenta bom conjunto no geral e perde para o Galaxy S22 Ultra apenas em câmeras

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Samsung Galaxy Z Fold 4