» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
4.499

Asus ROG Phone 2

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

Asus e a Republic of Gamers, a sua divisão focada em produtos para jogadores, prometem entregar o melhor smartphone para jogos, o ROG Phone 2. Essa belezinha aqui com seu design agressivo, hardware de ponta e acessórios diversificados. Será este o melhor smartphone gamer do mercado? É isso que confere nesta análise completa.

Design e acessórios

Os celulares voltados para gamers estão cada vez mais comuns e isso já era esperado diante do crescimento da comunidade de jogadores que usam o celular para passar o tempo. Atualmente, 37% dos jogadores espalhados pelo mundo jogam na telinha do celular.

Asus está ciente desta demanda e vem investindo cada vez mais forte em sua linha ROG. A segunda geração do seu celular traz design ainda mais exótico e apelativo. É um aparelho com corpo feito em metal com traseira de vidro e LED RGB no logo na traseira.

O novo melhora tudo o que o antigo tinha de bom e corrige várias falhas do primeiro projeto. Porém, ele está maior e mais pesado. Mesmo que sua tela seja menor que a do Galaxy Note 10 Plus, por ter bordas mais largas, ele ocupará mais espaço no seu bolso.

Asus alega que ter bordas largas garante maior conforto ao jogar e evita que você toque acidentalmente na tela. Realmente faz sentido e por ter dois alto-falantes grandes, as bordas mais largas que às de modelos top de linha recentes não chega a irritar.

O leitor biométrico saiu da traseira e foi para debaixo da tela. Ele funciona bem, porém não é dos mais rápidos. Já a saída de ar está menor, e o sistema de dissipação térmica foi aprimorado. Enquanto o logo com iluminação é o mesmo de antes.


Um grande diferencial do ROG Phone 2 para demais smartphones gamer está nos seus gatilhos ultrassônicos na lateral direita, que podem ser mapeados em jogos. As bordas são “apertáveis” como na linha Pixel e você pode escolher uma ação ao pressionar as laterais. Ainda temos a porta proprietária do lado esquerdo, que serve para conectar os acessórios, que também serve como uma USB-C secundária.

Por falar nos acessórios, você pode adquirir a dock para conectar o ROG Phone em sua TV e jogar do seu sofá. Há também o WiGig Display, que faz streaming do celular para uma tela via Wi-Fi com baixa latência.

Para uma jogatina fora de casa, você pode adquirir o ROG Kunai Gamepad, que deixa o celular parecido com o Nintendo Switch, enquanto o TwinView Dock permite conectar dois ROG Phones e ter uma segunda tela ao jogar, algo no estilo do Nintendo DS.

Esse modelo que testamos veio apenas com o cooler, que conectado na USB-C lateral ajuda a manter o aparelho frio ao jogar por muito tempo.

Tela e som

Como estamos falando de um celular gamer, a presença de uma tela com alta taxa de atualização é obrigatória, algo que fez falta no Black Shark da Xiaomi.

Tudo bem, este não é o primeiro celular com tela de 120 Hz, inclusive testamos o Razer Phone ano passado. Porém, podemos dizer que esta é a melhor tela com esta taxa de atualização.

Um ponto que o rival da Razer pecava era no brilho. Era tão baixo que fica impossível usar o celular fora de casa, especialmente ao sol. O da Asus não sofre deste problema. Sua tela tem brilho alto, contraste elevado e reproduz cores com ótima fidelidade.

Telas OLED normalmente apresentam 16 milissegundos de latência, já a tela do ROG Phone 2 derruba esse valor para apenas 1ms, o mesmo que os melhores monitores entregam. Isso quer dizer que você não verá rastros na tela e nem terá atraso no tempo de resposta dos comandos.

E para ajudar ainda mais, o sensor de toque na tela trabalha a 240 Hz, o dobro dos novos iPhones. O que isso significa na prática? Que sempre que você toca na tela do ROG Phone, ele vai responder mais rápido que qualquer outro celular encontrado no mercado nacional. E isso faz diferença especialmente em jogos online competitivos.

Não adianta ter tela de ponta e decepcionar em som, certo? Aqui é outro ponto que o celular da Asus detona a concorrência. Seus alto-falantes possuem amplificador dedicado, e isso ajuda a entregar o volume mais potente entre todos os aparelhos que passaram pelo TudoCelular.

Não apenas isso, mas a qualidade também é notável. Os alto-falantes ressoam causando vibração por todo o corpo do aparelho ao reproduzir graves. Você tem áudio nítido e bem distribuído que vem na sua direção. Se precisar de ainda mais potência há o modo externo, que reduz os graves e médios e força os agudos para superar o barulho à sua volta.

O fone que vem junto tem boa qualidade sonora, mas vale a pena investir em fone profissional para usar com o ROG Phone. Ele reproduz som limpo e potente, o que é perfeito para explorar todo o potencial de fones de alta impedância.

Desempenho e jogos

Chega de falar de imagem e som, vamos ao que interessa: o desempenho. Equipando essa belezinha temos o Snapdragon 855 Plus, que é uma versão do Snapdragon 855 com overclock no processador. Este que equipa o ROG Phone vem com a frequência de operação da GPU destravada, o que permite que você faça overclock para extrair ainda mais desempenho nos jogos.


A parte mais irônica é que apesar de todo este potencial, na prática, o poderoso celular da Asus acaba sendo mais lento com apps populares que outros celulares com o Snapdragon 855 comum. Ele ficou abaixo de modelos chineses que custam metade do preço em nosso teste de velocidade. Fica claro que otimização de software continua sendo o fraco da Asus.

Em benchmarks, por outro lado, ele realmente mostra o seu poder e chegou próximo de quebrar a barreira dos 500 mil pontos no AuTuTu com o overclock ativado. Isso é mais do que o poderoso chip A13 Bionic dos novos iPhones conseguiu neste teste.

AnTuTu usando o Modo X


Mas você quer saber é dos jogos, certo? Afinal é pra isso que está lendo este review. Aqui vai a melhor notícia: o ROG Phone realmente roda jogos a 120 fps. Não são todos, mas já há uma lista longa de títulos otimizados que você pode conferir nesta matéria.

Testamos vários jogos e ele realmente conseguiu segurar os 120 fps o tempo todo. Porém, ele esquenta, e não é pouco. Esse que testamos vem com cooler para dar uma esfriada e evitar que o processador reduza a velocidade para não sofrer superaquecimento. A versão mais barata não acompanha este acessório, então esteja avisado.

Os gatilhos ultrassónicos fazem diferença ao jogar. Eles reconhecem toques e gestos de deslizar para ações diferentes. Mesmo que você não compre o gamepad, jogar diretamente no ROG Phone será uma experiência mais prazerosa do que temos em outros celulares.

Câmera

Chegamos na parte de câmera. Como esse nunca é o foco deste tipo de produto, vamos ser breves. O ROG Phone 2 mantém o mesmo conjunto duplo de antes, mas agora com câmeras de 48 e 13 MP. A secundária continua lente grande-angular.

Suas câmeras são as mesmas do Zenfone 6 e conseguem registrar boas fotos em locais bem iluminados. A lente mais ampla tem qualidade inferior, mas ainda assim é capaz de tirar boas fotos.

Há um atalho para zoom no aplicativo que faz um corte para aproximar o objeto. Também há o modo retrato que usa a grande-angular para desfocar o fundo. O resultado não é tão bom quanto de outros celulares com sensor de profundidade.

Modo noturno




À noite não espere por boas fotos com o ROG Phone. Pelo menos há modo noturno que ajuda um pouco e funciona com a grande-angular.

Diferente do Zenfone 6 que a câmera na traseira gira para a parte da frente na hora de tirar selfies, aqui você terá uma câmera dedicada para isso e a qualidade é inferior. Ainda assim é possível ter selfies com boa qualidade e cores balanceadas.

A filmadora é capaz de gravar vídeos em 4K até 60 fps e a melhor parte é que a estabilização eletrônica funciona em todas as opções. Diferente de alguns celulares que reduzem os tremidos apenas quando gravam em Full HD.

A qualidade dos vídeos é boa, porém a frontal apresenta algumas quedas na taxa de quadros. Já filmar à noite resulta em vídeos com bastante granulado, especialmente se for usar a grande-angular.

Bateria

Um dos motivos do ROG Phone 2 ser um aparelho muito pesado está na sua gigante bateria de 6.000 mAh. Como é um celular com hardware agressivo, que permite overclock, tem logo com LED RGB, e que precisa alimentar um cooler para manter o celular frio, tudo isso acaba devorando muita energia.


A boa notícia é que essa bateria dá conta do recado e com sobra. O ROG Phone 2 entrega a melhor autonomia entre todos os modelos avançados que testamos. Você só terá que recarregá-lo a cada dois dias. E caso jogue muito, sua bateria ainda aguenta o dia todo.

Por padrão ele vem com a tela travada em modo 60 Hz, você pode mudar para 90 ou 120 Hz. Quanto maior a taxa maior será o consumo de energia. Porém, mesmo na velocidade mais alta, sua autonomia ainda é ótima.


Esse modelo que testamos veio com carregador de 30W que demora pouco mais de 1 hora e meia para recarregar totalmente a bateria. O modelo mais barato vem com carregador mais fraco de apenas 18W, que vai demorar bem mais para fazer a bateria chegar a 100%.

Software

Ele vem com Android Pie e interface ROG UI, que é diferente da Zen UI que vemos nos demais smartphones da Asus. Ao ligar o aparelho pela primeira vez você sentirá o peso de ter um produto voltado para gamers, com interface mais futurística que adora mesclar tons escuros com detalhes em cores vibrantes. Há um tema que deixa a interface igual a de outros Zenfones, caso não se acostume com esse visual diferenciado do ROG.

Na barra de status verá um ícone que mostra qual a taxa de atualização usada para a tela naquele momento. Há um atalho na gaveta de notificações para alternar rapidamente entre os três modos. Também há um atalho para o Modo X, que força o hardware ao máximo para ter pontos maiores em benchmarks.


Como todo celular gamer, há uma ferramenta para otimizar seus jogos, e a da Asus recebe o nome de Game Genie. É possível monitorar em tempo real o uso de processador, chip gráfico, nível da bateria, temperatura do hardware, taxa de fps e até uma estimativa do tempo restante da bateria enquanto joga.

É no Game Genie onde você configura os AirTiggers, os gatilhos ultrassónicos mencionados antes. Você pode mapear os botões do jogo para controlar usando as bordas do celular. Há até a função macro, que permite com um único toque executar uma ordem definida de ações.


Porém, a cereja do bolo é a suíte Asus Armoury Crate. É algo parecido com que o temos no Shark Space do modelo da Xiaomi e transforma o ROG Phone em um console de bolso. O sistema é travado em modo paisagem e a biblioteca de jogos assume a tela.

É possível criar perfis diferentes para cada jogo, escolhendo o modo de desempenho. Há três opções para escolher e a mais agressiva vai fazer o celular esquentar mais. Também é possível escolher a velocidade do processador e até o limite de temperatura. E se um jogo só roda a 60 fps, você pode travar a tela em 60 Hz só para aquele jogo e evitar gasto desnecessário de bateria.

E finalmente, os controles do LED RGB. Você pode escolher entre milhões de opções de cores, o tipo de efeito da iluminação e até a sua velocidade.

Rivais

O ROG Phone 2 realmente é o melhor smartphone gamer ou tem opções melhores? Dos modelos que testamos, sem dúvidas, ele é o mais completo. Tem a melhor tela de 120 Hz, o som mais potente, roda muitos jogos a 120 fps e sua bateria dura muito.

Comparado ao Black Shark 2, ele supera o modelo da Xiaomi em tudo. Porém temos que levar em consideração que custa o dobro. Se vale pagar o dobro, cabe a você decidir.

O que ele decepciona é no desempenho geral. É mais lento que o OnePlus 7 Pro com sua tela de 90 Hz e também fica atrás do Mi 9 que tem tela de apenas 60 Hz. E o mesmo acontece com suas câmeras que fazem apenas o básico e são mais limitadas que às dos modelos chineses.

Não faz questão de jogar a 120 fps? Outras alternativas seriam o Galaxy Note 10 e iPhone 11 que podem ser encontrados pelo mesmo preço. São mais rápidos e têm câmeras melhores.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Melhor tela de 120 Hz
  • Som potente e de qualidade
  • Muitos jogos rodando a 120 fps
  • Gatilhos são quase trapaça em alguns jogos
  • Melhor bateria entre os flagships

Pontos fracos

  • Tamanho e peso
  • Desempenho geral com apps
  • Aquecimento ao jogar
  • Câmera inferior a de outros flagships
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Se você quer o melhor para jogar, ele tem muito a oferecer. Mas se quer apenas um top de linha completo, o Galaxy Note 10 e iPhone 11 pode ser mais interessantes.

Embalagem e características

O ROG Phone 2 é cheio de acessórios, mas muitos você tem que comprar por fora. O mais caro vem acompanhado de cooler.

Comodidade

ROG Phone 2 é um celular muito grande e pesado. E por ter traseira de vidro escorrega fácil da mão.

Facilidade de uso

Seu Android traz uma versão customizada da Zen UI com apelo mais futurista.

Multimídia

Esse é o grande ponto forte do ROG Phone. Ele tem ótima tela e som de qualidade, além de rodar jogos mais suaves que demais smartphones.

Votação Geral

ROG Phone 2 é o melhor smartphone gamer do mercado, e um dos melhores lançamentos do ano.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Asus ROG Phone 2