» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.178

LG K62

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

A LG vem renovando sua linha K a uma velocidade impressionante, apresentando o K62 no Brasil apenas 4 meses depois da chegada de seu antecessor.

Com visual reformulado e preço mais alto, o aparelho ganhou até uma mudança no nome que o jogou para um patamar acima, já que o K62 na verdade é sucessor do K51s, e não do K61 como muitos podem pensar.

Chegou a hora de ver se essa mudança no nome realmente justifica um salto considerável em relação ao modelo anterior, e se o K62 conseguiu corrigir alguns erros sérios que vimos no K51s.

Acessórios

A caixa do K62 segue o padrão que vem sendo adotado pela LG em seus últimos lançamentos, abrindo de forma lateral e contando com divisões internas para os acessórios. Dentro dela, temos:

  • O aparelho;
  • Capa de silicone;
  • Chave para abrir a gaveta dos chips SIM e microSD;
  • Manuais;
  • Carregador de 10W;
  • Cabo USB-C;
  • Fones de ouvido.
Design e construção

A grande mudança nos três modelos mais recentes da linha K foi no design.

O K62 troca o conjunto de câmeras centralizado e alinhado na horizontal por um cooktop no canto esquerdo da parte traseira, onde ficam as câmeras e o flash dualLED. O aparelho está disponível nas cores vermelho e azul, sendo ainda todo em plástico e tendo um acabamento fosco com laterais brilhantes. A certificação militar de resistência ainda está presente, mas nada de IP68.

Além das câmeras, o leitor de digitais também sofreu mudança, saindo da traseira para a lateral direita junto ao botão de energia. Ele funciona bem e não deve ser incômodo para destros ou canhotos, sendo posicionado de forma a ser alcançado confortavelmente com ambas as mãos.

Todos os demais botões (volume e Google Assistente) ficam do lado esquerdo, assim como a gaveta para dois chips SIM e um cartão microSD. Na parte de baixo ficam a saída de som, porta USB-C e P2 para fones de ouvido, além de um microfone, e na lateral superior temos mais um microfone.

Olhando o K62 de frente temos outra mudança: o furo para a câmera frontal saiu do canto esquerdo para o centro da tela. É questão de gosto, mas isso se adequa ao que temos nos modelos da Samsung e em boa parte dos intermediários da Xiaomi, então provavelmente é o que a maioria prefere.

Em dimensões ele é praticamente idêntico ao K51s, sendo só um pouco mais baixo e gordinho, e tendo uma borda inferior ligeiramente menor.

Para quem quer um celular com Wi-Fi 5GHz, a LG resolveu incluir isso no K62 depois de remover em seu antecessor, mas giroscópio e NFC continuam de fora, e o Bluetooth é apenas 4.1.

Tela e som

A tela continua sendo uma LCD simples de resolução HD, que aumentou pouca coisa de 6,55 para 6,6 polegadas. O ponto positivo é que a LG escolheu um painel com brilho mais alto e cores mais acertadas, mantendo o bom ângulo de visão. Ainda não chega perto das AMOLED usadas em modelos rivais, mas não tem uma disformidade no brilho tão forte quanto em aparelhos da Motorola.

A parte sonora é que segue deixando muito a desejar. A única saída de som tem até volume razoável, mas distorce as faixas no volume mais alto e acaba deixando tudo meio abafado. Os fones de ouvido entregues na caixa são simples e fazem o básico, contando com o extra do “Som 3D” via software.

Desempenho

Esse é provavelmente o ponto mais polêmico de todo intermediário lançado pela LG nos últimos 4 ou 5 anos.

Depois de reaproveitar por gerações o MediaTek Helio P22, a LG “evoluiu” os modelos mais caros da linha K para o P35 no meio do ano passado, e seguiu com o mesmo chip no K62.

E, como era de se esperar, o chip já começa a se mostrar cansado para lidar com versões mais novas do Android e aplicativos atuais.

O já mediano desempenho visto no K51s ficou ainda pior no K62, que precisou de 15 segundos a mais para abrir e reabrir uma dúzia de aplicativos em nosso teste prático de velocidade em multitarefas. A principal diferença ficou na primeira volta, e mesmo com 1GB a mais de RAM ele não foi capaz de tirar o tempo perdido na reabertura dos apps.


O ponto positivo é que a LG segue tendo uma interface que gerencia bem os apps abertos em segundo plano, sendo possível manter vários deles para alternar de forma rápida sem se preocupar que as coisas fiquem recarregando.

Esse 1GB a mais de RAM rendeu alguns pontos extras em benchmarks, mas nada que mereça destaque.

Já nos jogos a situação continua mais ou menos na mesma, sendo possível aproveitar títulos mais básicos e até alguns mais pesados sem problemas, desde que reduza a qualidade gráfica. Mas é bom lembrar que alguns jogos brigam com chips da MediaTek, como é o caso do Asphalt 9 que apresenta engasgos que atrapalham muito a jogatina.

Câmeras

Um dos poucos pontos que tivemos mudança no K62 em relação ao K51S foi no conjunto de câmeras, ou mais especificamente no sensor principal. A empresa trocou o componente de 32 megapixels por uma opção de 48 megapixels usada anteriormente no K61, mas todas as outras três câmeras traseiras, assim como a frontal, foram mantidas.

Felizmente isso fez a câmera principal melhorar bastante em relação ao K51S, e com o K62 você conseguirá tirar fotos bem bonitas em ambientes com boa iluminação. As cores saem bem balanceadas no geral e o alcance dinâmico é bom para a categoria, mas em alguns momentos temos uma saturação exagerada mesmo sem usar o modo de Inteligência Artificial.

Será que vale a pena usar a câmera no modo 48 megapixels? Depende. Você vai ganhar muito em detalhes do que está longe, permitindo uso de zoom digital com menor perda da qualidade, mas precisará abrir mão do HDR e as fotos demoram um pouco mais para serem salvas.

Normal | 48 megapixels




A decepção está na câmera ultrawide, que além da baixa resolução ainda peca muito nos detalhes, não corrige de forma correta a distorção da lente e mostra ruído mesmo durante o dia.

Normal | Ultra-wide




A câmera macro é boa para registrar plantas, animais e outros elementos em detalhes, mas seu foco fixo em 4 centímetros e baixa resolução limitam a criatividade. A câmera de desfoque, curiosamente, nem parece fazer diferença, já que no geral apenas fotos com rostos vão permitir que o modo retrato seja ativado, mas ao menos o resultado é razoável.

Macro




Normal | Desfoque


O maior problema do K62 está em ambiente escuro. Enquanto a Motorola já entendeu que mesmo um aparelho barato precisa tirar boas fotos a noite, a LG segue ignorando essa demanda e o K62 vem sem modo noturno, sendo quase inútil nesse tipo de cenário. Se a situação já é ruim com a câmera principal, a ultrawide então quase não tem muita utilidade, assim como a macro.




A câmera frontal segue exatamente a mesma qualidade que vimos no K51S, conseguindo registrar boas imagens mesmo em ambientes com iluminação mais precária. Se você gosta de um tom mais bronzeado pode usar o modo de Inteligência Artificial, que dá uma “aquecida” nas imagens e prioriza a exposição do seu rosto. O modo retrato segue falhando bastante aqui.

Normal | Retrato | IA




O K62 grava em Full HD com câmera principal, ultrawide e frontal. A qualidade é razoável, com foco automático que funciona bem e boa estabilização para a faixa de preço, além de gravar áudio estéreo com foco para as vozes.

Bateria

A LG manteve os 4.000mAh que não deram conta de dar uma autonomia boa para o K51s. Como temos tela um pouco maior e mesmo chip, a bateria do K62 também é ruim, certo? Errado.

A sul-coreana conseguiu otimizar muito bem a interface do Android 10 para lidar com o hardware do aparelho, e com isso tivemos um aumento de mais de 6 horas de uso entre os modelos, o que significa que o K62 poderá enfim aguentar até dois dias longe da tomada para usuários mais básicos.


Mesmo quem não desgruda do celular nenhum momento pode ter dificuldade para esgotar a bateria do K62 em apenas um dia, então se você preza por uma boa autonomia pode ir sem medo.

O tempo de carregamento, por outro lado, foi basicamente o mesmo entre os aparelhos, o que já era esperado considerando que o carregador de 10W foi mantido, então ainda vai ser necessário esperar mais de 2 horas para fazer a bateria ir de 0 a 100%. Uma carga rápida de 15 minutos enche só 14% da bateria.

Software

O K62 vem com Android 10 de fábrica, estando até o momento da produção deste vídeo no pacote de segurança de setembro de 2020, e não dá para saber quando ou mesmo se ele vai receber o Android 11.

A interface é a mesma que estreou no Velvet e está presente em outros modelos da linha K, contando com visual reformulado que a torna mais parecida com a One UI da Samsung. Temos opções de customização para cor de destaque e temas que mudam completamente a cara do sistema e apps nativos, além de modo noturno para menor fadiga visual.

Funções da versão anterior também continuam aqui, como Game Launcher com algumas ferramentas que ajudam a focar na jogatina e Dual App para usar duas contas em apps de mensagens.

No geral a interface flui bem, mas é nítido que a LG priorizou a autonomia da bateria em vez do desempenho, com uma demora notável para abrir os apps pela primeira vez.

Rivais

Mas e aí, K62 ou algum outro? As principais alternativas no Brasil atualmente são Galaxy A21s e Moto G9 Play. O modelo da Samsung entrega desempenho melhor e deve ter mais suporte em atualizações de software, enquanto o da Motorola se sai melhor em câmeras mas perde um pouco em desempenho em multitarefas e autonomia de bateria. Vai depender do que você prioriza.

Todos são encontrados nessa faixa perto dos R$ 1.200, mas o modelo da LG deve cair mais nos próximos meses, ficando mais próximo dos R$ 1 mil.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Boa tela
  • Ótima bateria
  • Boas câmeras para a categoria
  • Bom para usar vários apps básicos ao mesmo tempo

Pontos fracos

  • Desempenho bruto abaixo da categoria
  • Falta modo noturno
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

Ainda precisa cair mais de preço, ficando perto dos R$ 1 mil se torna uma boa opção.

Embalagem e características

Fone e carregador simples, mas dão conta para quem busca uso básico. Vem capa de silicone como extra.

Comodidade

Traseira lisa pode ser escorregadia, e tamanho exagerado não ajuda, mas ao usar a capa de silicone que vem na caixa é possível usar de forma confortável.

Facilidade de uso

A LG UX 9.0 está muito parecida com a One UI, o que é um ponto positivo.

Multimídia

Tela com bom brilho e ângulo de visão, mas falta opção de ajuste de cores. Som mono faz o básico.

Votação Geral

K62 melhora pontos importantes em relação ao seu antecessor, mas é nítido que a LG precisa deixar os chips antigos da MediaTek no passado para entrar de vez no mercado.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o LG K62