» Anuncie » Envie uma dica Ei, voc um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.208

Motorola Moto G8

Review
Custo - benefcio
Embalagem e caractersticas
Comodidade
Facilidade de uso
Multimdia
Votao Geral

Depois de analisarmos as versões Play, Power e Plus chegou a hora de conferir o principal membro da linha Moto G8 que parece não receber a mesma atenção da Motorola. Alguns pontos evoluíram comparado ao Moto G7, enquanto tivemos pequenos retrocessos. Vale a pena comprar este G8 ou é melhor partir para o G8 Power que custa quase o mesmo? É isso que você descobre nessa análise completa do TudoCelular.com.

Acessrios

O Moto G8 vem em caixa clara com o logo da Motorola e nome do aparelho estampados na frente. Além do celular, você receberá:

  • Carregador de 10W de potência
  • Cabo USB no padrão A em uma ponta e C na outra
  • Fone de ouvido
  • Chavinha para abrir a gaveta do cartão SIM
  • Guia do usuário
  • Capinha de silicone transparente
Design e construo

O design do Moto G8 mudou bastante comparado ao seu antecessor. Na parte frontal agora temos um furo para a câmera no canto esquerdo da tela, diferente do entalhe em formato de gota de antes. O nome da Motorola foi removido da borda inferior, mas o queixo está um pouco mais protuberante nesta geração. Além da opção branca, também encontrará o G8 em azul.

O mais curioso é que o G8 Power tem exatamente mesmo design e tamanho de tela, mas a Motorola caprichou mais nele ao reduzir bem as bordas e entregar melhor aproveitamento frontal. A traseira dos dois é bastante parecida, mas muito diferente do G7 que ainda vinha com câmera no estilo bueiro e tem apenas duas câmeras. O leitor biométrico continua no logo da Motorola e faz bem o seu trabalho.

O G8 cresceu, ficou mais gordinho e pesado. Parte da culpa está no aumento de tela e outra parte na bateria mais generosa. O acabamento não evoluiu e muitos podem considerar um retrocesso trocar o vidro na traseira do antecessor pelo plástico comum no novo. Veja pelo lado positivo, o risco de quebrar reduziu e ainda temos uma capinha de silicone de brinde na caixa.

Entrada USB-C e P2 para fones de ouvido continuam presentes e agora temos conectividade Bluetooth 5.0. Só faltou a Motorola ter sido mais generosa com o Wi-Fi que não tem suporte a redes 5 GHz.

Tela e som

Outro ponto que retrocedeu no novo foi a tela. Ela cresceu, mas perdeu pixels. A resolução caiu de Full HD+ para apenas HD+. O ruim é que você verá um pouco de serrilhados se olhar muito de perto, mas por outro lado ajuda a entregar melhor desempenho em jogos e consumir menos bateria.

Brilho nunca foi o forte do painel IPS LCD adotado na linha Moto G e infelizmente este é o caso do G8. Dentro de casa você não terá problema com o brilho apenas mediano, mas ao sair ao sol vai sofrer um pouco para enxergar o conteúdo na tela. A reprodução de cores é boa e o ângulo de visão suficiente para uma boa experiência.

O Moto G7 veio com som mono e o mesmo foi mantido no novo. É uma pena que a Motorola não tenha dado a mesma atenção como visto no G8 Power e Plus, que trazem som estéreo. O áudio distorce um pouco e não é muito potente. Dá para quebrar o galho para ver vídeos ou jogar, mas para ouvir músicas é bom usar o fone que vem junto. Ele é confortável e tem qualidade decente.

Desempenho

Na parte de hardware não houve um salto grande de uma geração para outra: o Snapdragon 632 foi trocado pelo mais atual Snapdragon 665. Não espere por forte ganho em velocidade, já que esta plataforma mais recente da Qualcomm é otimizada para fazer a bateria durar mais e não entregar mais poder.

O problema é quando o novo acaba tendo desempenho inferior ao antecessor, pelo menos no multitarefas. Isso ficou claro em nosso teste padronizado de velocidade, onde o G8 foi 12 segundos mais lento que o G7. Isso não quer dizer que o novo seja mais fraco, mas no dia a dia você não sentirá que tem um celular mais potente em mãos.


Já em benchmarks temos um salto grande entre as gerações. No AnTuTu houve um aumento de mais de 60% na pontuação. E em jogos? Bem, a GPU do Snapdragon 665 não é das mais potentes e sofre para lidar com jogos atuais na resolução Full HD. O bom da Motorola ter reduzido a resolução da tela no G8 é que ele roda jogos com fluidez superior ao G8 Power. Mas não espere por jogos mais pesados como PUBG rodando na qualidade HD.

Cmeras

Motorola removeu o sensor de profundidade do G7 e colocou no lugar uma câmera com lente grande-angular e uma macro. E vamos concordar, este é um conjunto mais útil. Fechando o pacote ainda temos um laser para ajudar no foco automático.

Com exceção da teleobjetiva no G8 Power, demais câmeras são iguais entre os dois aparelhos, mas curiosamente, a qualidade fotográfica é inferior no G8. A principal registra boas fotos em condições favoráveis, ou seja, em locais abertos e em dias ensolarados.

Basta entrar em casa para notar que as fotos saem granuladas. O pós-processamento não consegue controlar os ruídos para deixar as imagens mais limpas. Para minimizar o problema, tente sempre tirar fotos próximo a uma fonte de luz.

Principal | Ultra-wide




O problema fica ainda mais crítico com a ultra-wide e a câmera macro também apresenta bastante ruídos. Porém, ao usar estas câmeras fora de casa você terá boas fotos. A lente mais aberta capta imagens mais escuras e satura um pouco mais as cores, mas quebra o galho quando não é possível enquadrar tudo com a principal. A macro permite chegar bem perto de pequenos detalhes, mas a baixa resolução do sensor não ajuda. Já vimos câmeras melhores no segmento de intermediários.

Macro



Esqueça fotografar à noite com o Moto G8. A qualidade das fotos cai drasticamente, o nível de ruídos aumenta e todos os detalhes são perdidos. As fotos ficam ainda piores com a ultra-wide e sua saturação exagerada. Pelo menos a macro não sofre tanto em ambientes mais escuros. É uma pena que a Motorola não tenha incluído o modo noturno como aquele presente no G8 Plus.

A frontal registra selfies satisfatórias. Não espere por fotos com alto nível de detalhes, por ter sensor inferior ao do G8 Power, as selfies tiradas com o G8 sofrem um pouco com nitidez, especialmente quando a luz está mais amena. À noite há bastante ruídos, mas você pode usar o flash de tela para minimizar o problema. Já o efeito retrato funciona bem dentro do esperado.

Selfie | Modo retrato



A filmadora continua gravando em 4K a 30 fps como antes. A qualidade é boa para o segmento, mas se quiser se livrar dos tremidos terá que se contentar em filmar em Full HD. O foco é bastante ágil e o laser realmente ajuda. A frontal continua filmando em Full HD com a mesma qualidade de antes. A captura de áudio é melhor que a de alguns modelos da linha One.

Bateria

O G8 vem com 1.000 mAh a mais de bateria e com o seu processador mais econômico e menor resolução de tela temos quase o dobro de autonomia do que antes. Realmente é um salto impressionante que coloca o G8 quase colado ao G8 Power em duração de bateria.


Se você é do tipo que usa apenas redes sociais, terá bateria para dois dias tranquilamente. E se é do tipo que não larga o celular um único minuto, vai ter carga para o dia inteiro sem se preocupar.


O que decepciona é o carregador de apenas 10W, que faz o G8 levar quase duas horas e meia para chegar a 100%, é quase uma hora a mais do que você tinha que esperar com o G7. A Motorola já foi mais generosa com carregadores, como o Power Turbo de 27W que vem com o G7 Plus, o que faz com ele seja o mais ágil no tempo de recarga até hoje, com apenas 49 minutos para chegar aos 100%.

Software

O software é praticamente o mesmo de sempre com leves modificações por parte da Motorola, mas na essência você recebe o Android 10 quase que puro. Há o app Moto com os típicos gestos presentes em outros da linha, que facilitam ligar lanterna ou abrir rapidamente a câmera. A novidade nesta geração é que você pode escolher abrir a câmera traseira ou frontal.

O maior destaque fica para o Moto Gametime. A novidade reconhece sempre que você abre um jogo e é capaz de desativar notificações, bloquear chamadas e até disponibilizar um painel com atalhos personalizados. Isso não faz do G8 um celular gamer e também não chega a ser algo inédito; outras fabricantes oferecem controles similares.

Rivais

O G8 não chega a ser um celular ruim, ainda mais se você comparar com rivais de outras marcas na mesma faixa de preço. O Galaxy A30s tem desempenho similar com bateria que dura menos. No entanto, o intermediário da Samsung tem melhor tela e câmeras superiores.

Se você olhar para os modelos importados encontrará o Redmi Note 8 por preço similar. Ele é consideravelmente mais lento e sua bateria rende menos, porém tem câmeras melhores. O que é mais importante para você?

Porém a briga mais interessante fica dentro de casa. Com o Moto G8 Power custando um pouco a mais, o G8 meio que não faz sentido. Ele é até mais rápido por ter tela com resolução inferior, mas a variante Power é melhor no geral.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Desempenho dentro da média
  • Boa autonomia de bateria

Pontos fracos

  • Experiência multimídia
  • Câmera inferior à concorrência
  • Tempo de recarga
  • Preço salgado pelo pouco que oferece
Avaliao final do Tudocelular
Custo - benefcio

O Moto G8 o menos interessante de toda a linha da Motorola.

Embalagem e caractersticas

Embalagem tem boa qualidade e vem com todos os acessrios necessrios.

Comodidade

Moto G8 no um celular muito grande, mas o plstico liso faz escorregar fcil. Pelo menos vem capinha na caixa.

Facilidade de uso

o mesmo Android limpo das geraes anteriores, mas agora com algumas funes extra para desempenho e som.

Multimdia

Falta de som estreo e tela com brilho mais forte compromete um pouco a experincia multimdia no Moto G8.

Votao Geral

O G8 um celular decente, mas h opes melhores no mercado.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto G8