» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
1.437

Redmi Note 12 Pro

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral

A Xiaomi é uma das empresas mais competitivas no segmento intermediário quando o assunto é oferecer o celular com o melhor custo-benefício. Uma linha da chinesa que sempre faz sucesso é a Redmi Note, que chega à sua 12ª geração com quatro lançamentos principais. Temos em mãos o Redmi Note 12 Pro com pacote completo da Dolby, hardware potente e câmera de 50 MP. Será ele a melhor escolha do ano para quem busca um bom celular pagando um preço justo? Vamos descobrir.

Acessórios

O Redmi Note 12 Pro 5G vem em caixa clara com nomes na cor dourada. Além do celular, você recebe os seguintes acessórios:

  • Carregador com 67W de potência
  • Cabo USB no padrão C
  • Guia do usuário
  • Capa transparente de silicone
  • Chavinha da gaveta do SIM Card
Design e conectividade

O Redmi Note 12 Pro chega com mudanças em seu design. Não apenas a aparência está mais moderna, como também temos um celular mais compacto e leve, por mais que a Xiaomi não tenha alterado o tamanho da tela e bateria.

Ainda temos um aparelho com carcaça de plástico, mas a traseira é de vidro e há proteção Gorilla Glass 5 de ambos os lados. A certificação IP53 continua presente para garantir proteção contra poeira e respingos d’água, mas não foi dessa vez que vimos um intermediário da marca com IP67 para competir com a linha Galaxy A da Samsung.

A novidade chegou ao mercado nas cores preta, branca, azul e lilás. Essa última é mais voltada para o público que curte celular com traseira brilhante, pois há pequenos círculos com efeito prateado que vão chamar a atenção. As demais adotam um visual mais limpo com cor metalizada.

Apesar do Redmi Note 12 Pro ser parecido com o modelo mais avançado da linha, o Pro Plus possui curvatura nas bordas, enquanto o mais barato é completamente plano. Isso ajuda a diferenciar os dois, já que o módulo de câmera é igual com dois dos sensores em maior destaque e um menor mais à direita logo acima do flash em LED duplo, que inclusive foi inspirado na linha Xiaomi 12.

É bom ver que a Xiaomi reduziu as bordas e não a tela para deixar seu intermediário mais compacto. Enquanto ainda é comum ver celulares desse segmento com moldura larga, o Redmi Note 12 Pro faz bom uso da área frontal. A câmera de selfies continua no topo da tela em posição centralizada e o leitor biométrico fica integrado ao botão de energia na lateral direita. Ele fica sempre ativo e você precisa apenas encostar seu dedo para desbloquear o celular.

Há entrada para fones de ouvido no topo do aparelho, assim como o emissor infravermelho para usar o celular como controle remoto. Na parte inferior temos a entrada USB-C e a gaveta que suporta dois chips, mas nada de slot para cartões microSD. Há dois alto-falantes, assim como dois microfones para áudio estéreo.

O Wi-Fi agora é de sexta geração e o Bluetooth evoluiu para a versão 5.2 para conectividade mais estável com menor consumo de bateria. Além disso, há suporte a NFC e 5G para redes da nova geração.

Tela e som

O Redmi Note 12 Pro traz uma grande tela de 6,67 polegadas com resolução Full HD+ e painel AMOLED de 120 Hz com sensor de toque que responde a 240 Hz, o que ajuda a reduzir a latência no tempo de resposta em jogos. Além disso, a tela apresenta menor variação de brilho, o que reduz o cansaço visual, especialmente ao usar o celular no escuro.

O nível de brilho máximo é bom e fica acima de muitos intermediários e até próximo de alguns celulares top de linha. A Xiaomi realmente caprichou ao escolher um painel com suporte a HDR10+ e Dolby Vision, o que garante que o Redmi Note 12 vai estar preparado para aproveitar ao máximo qualquer serviço de streaming.

A tela não apresenta uma evolução apenas em brilho e tecnologias embarcadas comparado ao antecessor, mas também é capaz de reproduzir mais cores e traz melhor calibração nativa. O painel é capaz de reduzir a taxa de atualização para apenas 30 Hz para ajudar a economizar bateria, especialmente se você é fã do recurso Always-on Display.

O intermediário chinês usa o alto-falante de chamadas como canal secundário e traz uma terceira saída no topo. Essa solução já foi adotada pela Xiaomi em outros celulares e ajuda na experiência mais tridimensional que o áudio tende a criar com a ajuda do Dolby Atmos. A potência está no mesmo nível do antecessor e também de outros da categoria.

A qualidade sonora é boa, com graves, médios e agudos bem balanceados. Para quem vai escutar músicas com fone de ouvido, talvez seja melhor desativar o Dolby Atmos para ter um som mais linear e próximo do ideal.

Desempenho

O Redmi Note 12 Pro traz o mesmo chipset presente no modelo mais avançado da linha, o Dimensity 1080, o que deve garantir um belo salto comparado ao Snapdragon 695 da geração anterior. Esse que testamos vem com 6 GB de RAM, mas é possível encontrar o celular da Xiaomi em opções com 8 GB e também 12 GB de RAM. Em termos de armazenamento, temos duas opções: 128 e 256 GB.

Aqui temos a primeira má notícia para dar: o desempenho multitarefas do Note 12 Pro é inferior ao modelo da geração anterior. Não por conta do novo chip, mas por má otimização do software que acaba encerrando apps abertos em segundo plano e também demora para reabrir os que não foram encerrados. Esse não é o primeiro celular da Xiaomi que sofre com esse problema e nem mesmo usar a RAM virtual para expandir a memória vai ajudar.


Em benchmarks temos números próximos ao do Snapdragon 695, o que mostra que o Dimensity 1080 pode não ser tão mais poderoso como alguns esperam. No AnTuTu ficamos abaixo dos 400 mil pontos. E nos jogos?

No PUBG conseguimos jogar com boa fluidez na opção HDR com taxa de quadros no ultra e recursos extras ativados. No Call of Duty terá que abrir mão de alguns extras gráficos, mas ainda assim é possível jogar na qualidade muito alta.

Bateria

A bateria não sofreu mudanças e este é mais um celular da Xiaomi com 5.000 mAh de capacidade. A boa notícia é que o novo chip garante um fôlego extra para o intermediário chinês e sua autonomia é ainda melhor do que antes com bateria que dura o dia todo com bastante folga e ficando entre os melhores que testamos.


Na caixa temos um carregador de 67W, mesma potência de antes e também comum nos intermediários da marca. Ele demora 1 hora para encher completamente a bateria, o que soa um pouco decepcionante, já que o antecessor é mais rápido nesse ponto.


Pelo menos terá 40% da bateria para usar com uma carga rápida de 15 minutos, o que já é suficiente para mais de 10 horas de uso. Uma carga de 30 minutos entrega próximo dos 70% da capacidade máxima.

Câmeras

O conjunto fotográfico é formado por câmera de 50 MP com sensor IMX 766 da Sony e lente de seis elementos com estabilização óptica, o que não apenas vai ajudar a lidar com os tremidos em vídeos como também deve ajudar nas fotos noturnas.

As demais câmeras não apresentam avanços comparado ao antecessor e temos uma ultra-wide com sensor ISOCELL da Samsung com resolução de 8 MP e uma dedicada para macros com sensor simples de apenas 2 MP da OmniVision. A frontal é a mesma de 16 MP de antes.

Principal | Ultra-wide



As fotos registradas pela câmera principal apresentam boa nitidez, cores saturadas e poucos ruídos em locais bem iluminados. A faixa dinâmica poderia ser mais ampla e o HDR sofre um pouco para reduzir o excesso de luz de fundo em fotos tiradas no final de tarde. Ainda assim, o desempenho geral da câmera do Note 12 Pro agrada e supera muitos intermediários.

Por falta de câmera teleobjetiva, terá zoom apenas digital que registra boas fotos quando não passar de 2x de aproximação. O desfoque de fundo é feito via software e apresenta bons resultados com poucos erros em cenários mais complexos. A câmera macro não impressiona em nitidez por conta do sensor de baixa resolução, mas já vimos piores no segmento.

Zoom


Macro


A ultra-wide registra fotos menos nítidas do que a principal por conta do sensor de menor resolução, porém compensa com fotos menos saturadas e com cores mais próximas da realidade. Essa câmera sofre em locais com pouca luz ao perder definição e deixar os ruídos mais aparentes. Há modo noturno que é ativado automaticamente em locais muito escuros e ajuda um pouco a contornar as limitações do sensor.

O desempenho fotográfico à noite com a câmera principal está dentro do esperado para um bom intermediário. O Redmi Note 12 Pro acerta com imagens nítidas e sem muitos ruídos, apesar do pós-processamento mais agressivo da Xiaomi matar os detalhes das sombras.

Noturno



A câmera frontal também comprime quatro pixels em um como a principal, mas ao invés de resultar em arquivos de 4 MP, temos fotos com 16 MP de resolução. Isso acontece porque o software faz upscale nas imagens, o que compromete um pouco a nitidez das selfies. De qualquer forma, ainda temos boas selfies com tonalidade de pele correta e contraste na medida.

Selfies



A câmera principal é capaz de gravar vídeos em 4K a 30 fps, a ultra-wide fica limitada a Full HD e a macro filma apenas em HD. Para quem pretende usar o celular para vlogs, é bom estar ciente que este é mais um modelo da Xiaomi que filma apenas em Full HD com a câmera frontal, porém a no máximo 60 fps.

A qualidade dos vídeos é boa em locais bem iluminados e não sofre tanto com ruídos à noite. A estabilização é mais eficiente ao filmar em Full HD, o foco é ágil e a captura de som é estéreo e tem boa qualidade.

Software

O software da Xiaomi tem seus altos e baixos. A empresa vem aprimorando a sua interface MIUI a cada geração, removendo o excesso de bloatware e otimizando o sistema para fazer bom uso do hardware, mas ainda não é suficiente. Como visto antes, falta otimização no gerenciamento de RAM. É possível reservar até 5 GB do armazenamento, mas não espere por milagres.

Outro ponto que a Xiaomi ainda decepciona é no suporte a atualizações do Android. O Note 12 Pro sai da caixa com Android 12 e MIUI 13 e continua sem a versão mais recente do robozinho. Não apenas isso, mas o pacote de segurança estava vários meses atrasado.

Os recursos são os mesmos que encontra em outros celulares com a versão mais atual da MIUI. Temos a Barra Lateral no estilo Tela Edge da Samsung, mas com a diferença que os atalhos mudam de acordo com o que estiver aberto no momento. Se você está jogando, terá acesso a ferramentas de jogos ou poderá acessar rapidamente ferramentas de edição quando estiver visualizando um vídeo.

Há várias opções de customização, seja do relógio quando a tela está apagada ou da própria interface com o uso de temas. Por mais que o software precise de melhor otimização, a interface até flui rápido e responde bem aos comandos.

Rivais

O Redmi Note 12 Pro é um bom celular intermediário, mas quais alternativas temos ao aparelho chinês? O Galaxy A54 traz certificação IP superior de resistência contra água. Ele pode não ter uma tela tão completa quanto a do Xiaomi, mas entrega boa experiência multimídia. O modelo coreano é mais ágil e tem melhores câmeras, enquanto o Note 12 Pro ganha em bateria e tempo de recarga.

O Moto G73 é a aposta mais recente da Motorola entre os intermediários avançados com 5G. Ele perde em tela por ter um painel IPS com brilho baixo e também peca na qualidade sonora dos alto-falantes. A vantagem fica para o desempenho e o tempo de recarga que fica próximo, apesar da bateria render menos. Seu conjunto fotográfico é parecido e também temos ótimas fotos com melhor HDR.

Pontos fortes e fracos

Pontos fortes

  • Tela de 120 Hz com brilho forte
  • Som estéreo potente
  • Ótimas câmeras
  • Bateria dura muito

Pontos fracos

  • Desempenho abaixo da média
  • Filmadora sofre à noite
  • Sistema desatualizado
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O custo-benefício é inferior a rivais da Samsung, mas é um celular completo e com vários pontos positivos

Embalagem e características

Embalagem vem com capinha de silicone e carregador com boa potência

Comodidade

É um celular grande e escorregadio, mas pelo menos vem capinha na caixa

Facilidade de uso

MIUI 13 flui bem apesar do gerenciamento de RAM decepcionante; recursos são os mesmos de outros lançamentos recentes da Xiaomi

Multimídia

A tela AMOLED tem boa qualidade e brilho alto, além de som estéreo potente

Votação Geral

O Redmi Note 12 Pro é um bom intermediário 5G que traz vários avanços comparado ao antecessor, mas peca em pontos importantes

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Redmi Note 12 Pro