LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Redmi 4 Pro, Note 4X, K10 Power e Galaxy J7 Prime | Comparativo de telas do TudoCelular

01 de junho de 2017 14

O TudoCelular colocou o K10 Power ao lado do Galaxy J7 Prime e os smartphones da Xiaomi (Redmi 4 Pro e Redmi Note 4) para medir o nível de brilho, visibilidade, saturação de cores e contraste de cada tela.

Foram realizados vários testes que vão desde a medição do nível de brilho das telas, seja no máximo ou no mínimo suportado pelo aparelho, assim como a visibilidade em ambiente externo e também no escuro, buscando verificar qual aparelho oferece a menor fadiga visual.

Para o nosso teste externo usamos o mesmo grupo de imagens de outros vídeos com o brilho de tela de cada aparelho no máximo e em modo automático (exceto para o Galaxy J7 que não conta com sensor de luminosidade). Para o modelo da Samsung usamos o ‘modo externo’ que força o brilho da tela por no máximo 15 minutos.

O teste é dividido em três etapas:

  • Ambiente externo ensolarado
  • Ambiente interno com luz artificial
  • Ambiente interno noturno

Alguns aparelhos contam com boost no brilho quando estão no modo automático e em ambiente com forte incidência de luz. Dos aparelhos testados nenhum apresentou um ganho considerável no brilho no modo automático.

O teste em ambiente interno com luz artificial foi realizado com as telas de todos os aparelhos niveladas manualmente para 200 lux, algo possível graças ao uso de um luxímetro digital. Desta forma, neste teste comparamos basicamente a fidelidade de cores e o contraste de cada uma delas.

Por fim, o teste no escuro mostra qual atinge o maior brilho, assim como qual aparelho oferece o brilho mais baixo, o que ajuda a reduzir fadiga visual. Aproveitamos ainda para colocar todos os dispositivos com brilho máximo neste cenário, permitindo uma boa análise da diferença de cada display.

69.6 x 141.3 x 8.9 mm
5 polegadas - 1920x1080 px
76 x 151 x 8.45 mm
5.5 polegadas - 1920x1080 px
78.1 x 154.7 x 8.49 mm
5.5 polegadas - 1280x720 px
75 x 151.7 x 8 mm
5.5 polegadas - 1920x1080 px
Ir para página de comparação

Os modelos aqui testados trazem a resolução Full HD (1920 x 1080) como nativa para seus respectivos painéis, com exceção do K10 Power que oferecer resolução HD. Em termos de tamanho temos 5 polegadas para o Redmi 4 Pro e 5,5 polegadas para os demais. Desta forma, o modelo da LG é o que apresenta a menor densidade de pixels por polegada.

Com exceção do modelo da Samsung, os demais contam com tecnologia IPS LCD, o que deve garantir o mesmo equilíbrio de cores e contraste. O Galaxy J7 Prime traz um painel PLS TFT, que apresenta cores mais ‘lavadas’ comparado ao Galaxy J7 com painel Super AMOLED, mas não fica muito distante dos demais modelos participantes do comparativo em reprodução de cores.

Ambiente externo

O Galaxy J7 Prime foi o que mais se destacou aqui no teste externo quando o ‘modo externo’ está ativado. Ele consegue atingir o maior brilho de tela dos quatro, além de ter um vidro que reflete menos, o que acaba entregando uma visibilidade superior. Em segundo temos o Redmi Note 4X, que apenas de ter o mesmo nível de brilho do Redmi 4 Pro, reflete menos o ambiente à sua volta.

Em terceiro temos o Redmi 4 Pro que apresenta o mesmo bom painel IPS LCD de sua variante phablet, mas peca por apresentar uma menor visibilidade em ambiente externo. Já o modelo da LG é o que tem o menor brilho máximo dos quatro, comprometendo bastante o resultado ao usuário o celular em ambientes com forte iluminação.

Ambiente interno

Em ambiente interno com luz artificial podemos ter uma maior noção da diferença na reprodução de cores e contraste de cada tela. Como estamos diante de quatro aparelhos com painel LCD, já era esperado ver pouca diferença entre eles neste aspecto.

O modelo da LG apresenta um contraste um pouco inferior aos demais, mas nada gritante. O modelo da Samsung, por outro lado, não traz as cores supersaturadas normalmente vistas nas telas AMOLED da empresa.

E por falar em saturação, os modelos da Xiaomi permitem escolher entre dois perfis de saturação, além de permitir ao usuário deixar as cores mais quentes ou frias na tela do aparelho. É uma pena que os modelos da LG e Samsung não ofereçam este tipo de controle.

Ambiente noturno (brilho máximo)

No brilho máximo vemos o que já era possível ter percebido nos testes anteriores: o K10 Power é o que apresenta o brilho mais baixo dos quatro. Os demais apresentam nível similar em brilho quando estão no modo manual.

Não é recomendável usar o celular no escuro com o nível de brilho no máximo pois pode acabar prejudicando a sua visão, especialmente com os modelos que apresentam brilho muito forte.

Ambiente noturno (brilho mínimo)

Para quem curte usar o smartphone no escuro, o modelo da Samsung acaba sendo o menos indicado. Quando o brilho é colocado no mínimo, o Galaxy J7 Prime ainda apresenta um nível de brilho consideravelmente alto, o que acaba resultando em uma maior fadiga visual.

Aqui temos uma ligeira vantagem para o Redmi 4 Pro, mas não há uma diferença muito considerável comparado ao Note 4X e K10 Power.

Imagens usadas no teste

Para tornar tudo o mais justo possível, estamos disponibilizando as imagens utilizadas no teste, permitindo assim que você as visualize em seu próprio smartphone e compare ao resultado demonstrado em nossos testes.

Vale lembrar ainda que algumas variações correspondem também à própria câmera utilizada para registrar as cenas, já que ela tende a balancear o máximo possível a diferença de brilho entre as telas, dependendo então do ponto que pegou como referência.

Medição de brilho

Brilho máximo com imagem branca

  • Redmi 4 Pro: 465 lux (480 lux em modo automático)
  • Note 4X: 455 lux (470 lux no automático)
  • K10 Power: 213 lux (218 lux no automático)
  • Galaxy J7 Prime: 450 lux (530 lux com ‘modo externo’ ligado)

Brilho máximo com imagem preta

  • Redmi 4 Pro: 5 lux
  • Note 4X: 4 lux
  • K10 Power: 2 lux
  • Galaxy J7 Prime: 5 lux

Brilho mínimo com imagem branca

  • Redmi 4 Pro: 1 lux
  • Note 4X: 2 lux
  • K10 Power: 2 lux
  • Galaxy J7 Prime: 7 lux

Brilho mínimo com imagem preta

  • Redmi 4 Pro: 0 lux
  • Redmi Note 4X: 0 lux
  • K10 Power: 0 lux
  • Galaxy J7 Prime: 0 lux

Quando no modo manual, os dois smartphones da Xiaomi e o da Samsung apresentam o mesmo nível de brilho, sendo o dobro do que é oferecido pelo modelo da LG. O Galaxy J7 Prime, no entanto, vai além quando o modo externo é ativado, entregando o brilho mais alto dos quatro aparelhos.

Conclusão

Para quem busca um smartphone para ser usado em ambiente externo ou lugares com forte iluminação, o modelo da Samsung acaba sendo o mais indicado. Já para quem usa mais o celular no escuro, especialmente pouco antes de ir dormir, o modelo da Samsung torna-se o menos indicado em nosso comparativo.

O modelo da LG é o que apresenta o brilho mais baixo, além de ser o único com resolução HD. No geral, sua tela não chegou a se destacar em nenhum dos testes do nosso comparativo, sendo o menos indicado dos quatro.

Por fim, temos os dois modelos da Xiaomi que apresentam telas praticamente iguais. O Redmi 4 Pro tende a puxar a cores para um tom mais quente, enquanto o Note 4X puxa mais para um tom frio. No entanto, ambos permitem mudar a saturação da tela através de alguns perfis oferecidos pela MIUI.

No geral, o Redmi Note 4X é o que oferece uma experiência mais equilibrada, sendo o mais indicado deste nosso comparativo.

(atualizado em 22 de abril de 2019, às 23:28)

14

Comentários

Redmi 4 Pro, Note 4X, K10 Power e Galaxy J7 Prime | Comparativo de telas do TudoCelular

OnePlus 6 e Redmi Note 5 entram na lista dos 15 aparelhos mais radioativos

Huawei no Brasil fará diferença? Positivo fecha trimestre no vermelho

Samsung Galaxy J7 Pro ou Motorola Moto G5S Plus? Comparativo TudoCelular ajuda a escolher

Ranking TudoCelular: gráficos com todos os testes de desempenho e autonomia até junho