LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Ghost of Tsushima é o Assassin’s Creed com samurais que os fãs esperavam | Análise / Review

23 de julho de 2020 4

Esta é a análise completa do TudoCelular referente ao jogo Ghost of Tsushima. Abaixo você verá um índice que permite que pule diretamente para a parte que o mais interessa. É bom lembrar que a nossa análise não contém spoilers da história para que a sua experiência não seja arruinada.

Desta forma, evitaremos mostrar o mapa do jogo ou menus da interface que mostrem habilidades que são liberadas mais para o final do jogo. Ainda mais quando Ghost of Tsushima deixa o melhor para o final. =)

Índice da análise

O que é Ghost of Tsushima?

Ghost of Tsushima é o grande último exclusivo da Sony para o PlayStation 4. Ele é desenvolvido pela Sucker Punch, que você provavelmente deve conhecer pela franquia Infamous. Por sinal, desde que o Infamous Second Son foi lançado na estreia do PS4 que não víamos um novo jogo da produtora. E essa demora toda valeu a pena.

Ghost of Tsushima é um jogo de mundo aberto em terceira pessoa. Ele foi inspirado em grandes jogos como The Legend of Zelda: Breath of the Wild, The Wticher 3, Nioh 2 e até a saga Assassin’s Creed. Aliás, é impossível não se sentir como se estivesse jogando um novo capítulo dos jogos de assassinos da Ubisoft.

Então eu vou poupar o seu tempo. Se você é fã de Assassin’s Creed e sempre esperou por um jogo que se passasse no Japão feudal com temática de samurais, nem precisa ler esta análise, pode comprar o jogo sem medo.

Um belo conto sobre samurais

Ghost of Tsushima usa o Japão da era feudal como plano de fundo mostrando as invasões mongóis entre os anos 1274 e 1281. Toda a trama se passa na ilha de Tsushima que foi um lugar muito importante na época por ser o principal ponto de estratégia militar entre o Japão e a Coreia.

Mas o que é fato e o que é ficção em Ghost of Tsushima? Isso deixaremos mais para frente, vamos focar na história do jogo. Aqui você encarna no personagem Jin Sakai, um samurai que vê todo o seu clã ser dizimado pelo exército de mongóis que invadem a ilha de Tsushima logo no comecinho do jogo.

Os samurais por estarem em menor número acabam perdendo esta guerra e Jin quase é morto na batalha. Ele é socorrido por uma ladra que mais na frente acaba virando sua aliada. Jin descobre que o seu tio, aquele que o treinou quando criança e o fez dele um samurai, havia sido capturado pelos mongóis.

Ghost of Tsushima está dublado e legendado em PT-BR, mas recomendamos a dublagem japonesa que está excelente

Ele vê o povo de Tsushima virar escravo dos mongóis, e sem o seu clã para ajudar ele precisa encontrar aliados para acabar com os invasores. Mas como um único homem será capaz de enfrentar um exército e resgatar o seu tio que virou refém? Jin percebe que enquanto ele continuar preso ao código dos samurais ele estará em desvantagem. Será preciso adotar uma nova estratégia para sobreviver nesta guerra.

E assim nasce o fantasma de Tsushima (de onde vem o título do jogo). Jin começa a agir pelas sombras para ter alguma chance de vitória. Ao invés de empunhar a espada e desafiar seus inimigos para um duelo, ele prefere se esgueirar pelo mato e usar métodos furtivos de assassinato. É aqui que Ghost of Tsushima se parece muito com Assassin’s Creed.

Um Japão feudal deslumbrante

Como se espera de um jogo de mundo aberto, você terá um mapa grande para explorar que inicialmente está coberto com uma névoa. É preciso sair cavalgando por aí para descobrir novos pontos de interesse como aldeias, acampamentos mongóis ou tesouros perdidos.

Essa é a parte interessante de Ghost of Tsushima, você precisa interagir com os NPCs espalhados pelo mapa para que eles contem histórias que desbloqueiam novas missões. Vale muito a pena se aventurar para conhecer um pouco mais do Japão feudal e ter acesso a novos equipamentos que vão te ajudar no combate.

A história principal é marcada no mapa por pontos dourados, que são chamados de Contos do Jin. Há pontos brancos que correspondem aos contos de outros personagens, sendo estas as missões secundárias do jogo.

Ao sair percorrendo o mapa você passará por belas paisagens com cores vibrantes e algumas mais sombrias com corpos carbonizados espalhados por todos os lados. Há templos antigos que estão ocultos (normalmente em locais altos) e ao serem explorados lhe garantem bonificações no jogo.

Ghost of Tsushima tem mapa grande bem recheado de missões e segredos para serem descobertos

Sempre que você visita um local ou termina uma missão, será liberado um ponto de viagem rápida, o que agiliza bastante na exploração do mapa para evitar que você fique o tempo inteiro indo de um lado a outro de cavalo.

Aliás, este é um ponto que merece muito elogio. A viagem rápida é realmente rápida e demora menos de 5 segundos para que você vá de um ponto a outro do mapa. Diferente de outros jogos que demoram bastante para carregar. Tudo carrega muito rápido em Ghost of Tsushima e morrer com frequência não será algo irritante.

Mas vale a pena sair explorando o mapa pois você encontrará suprimentos espalhados por todos os cantos. Eles são a moeda do jogo e também servem como matéria-prima para upar equipamentos. Além disso é necessário coletar metais, tecidos e plantas. Não se preocupe, há tanto material disponível que você provavelmente vai maximizar o Jin antes mesmo do final do jogo.

Mesmo após terminar a campanha principal, todo o mapa fica disponível para você fazer as missões secundárias, correr atrás do restante dos equipamentos e derrotar inimigos para ganhar os últimos pontos e desbloquear todas as habilidades.

Jogabilidade acertada e refinada

OBS.: Gameplay acima é de uma missão secundária que não revela spoilers da trama principal.

Um ponto que nem todo jogo de mundo acerta é na jogabilidade, mas a Sucker Punch tira isso de letra. Por ter se inspirado em vários games de sucesso como The Witcher 3 ou Nioh, aqui temos uma mecânica acertada e bastante refinada. Dá para perceber que a equipe trabalhou por anos para deixar a jogabilidade redondinha.

Diferente de Sekiro, um jogo de samurais que testamos anteriormente, este não traz um combate no estilo “Souls like” como temos no Nioh, mas herda algumas mecânicas como as posturas de luta.

Há um total de quatro posturas: Água, Pedra, Lua e Vento. Cada uma delas muda a forma como Jin luta e esquiva dos ataques dos inimigos. A postura da água é bastante eficaz contra escudeiros, especialmente se você usar ataques pesados. A da pedra é melhor contra espadachins, que são mais velozes.

Combates são rápidos e fluidos, mas é importante saber a melhor arma e postura usar para cada inimigo

Quebrar a defesa de um brutamonte? É a postura da lua que deve usar. Jin fica alternando entre chutes e espadadas para derrubar os grandalhões. E por fim temos os lanceiros que podem ser enganados com a sua postura do vento.

Além da sua espada, você também terá acesso a armas de arremesso, bombas de fumaça, bombas explosivas, arco e flecha, kunais, e até dardos venenosos. Como pode ver, Jin é um samurai que possui várias ferramentas de assassinos.

Os combates são bastante fluidos, os inimigos apresentam boa inteligência artificial, há muitos elementos nos cenários para você se ocultar e tirar vantagem da furtividade, os seus aliados realmente ajudam, e ainda conta com um cavalo que o ajuda a atacar os inimigos de surpresa.

É preciso explorar bem o mapa para conseguir matéria-prima para melhorar seu equipamento

Sempre que você derrota o líder de um acampamento vai ganhando pontos para desbloquear essas posturas. E sempre que completa uma missão ganha XP para subir a sua lenda e desbloquear novas habilidades.

Há de todos os tipos, desde aumentar a resistência contra impacto até causar danos mais fortes em pontos fracos dos inimigos. Há pontos para comprar tudo, se você focar bastante nas missões secundárias.

É possível também fazer upgrade nos equipamentos que melhoram as suas habilidades. Há alguns que são apenas estéticos, como as máscaras, então escolha a que achar mais legal. No caso das armaduras temos algumas que são mais voltadas para combates e outras que ajudam na furtividade. É bom ir mudando entre elas a depender do tipo de missão que estiver fazendo.

Porém, o que mais chama a atenção em Ghost of Tsushima são os duelos. É um combate um a um que tenta passar a beleza dos antigos filmes de samurai. Esses combates são mais complicados e demora um pouco para você derrubar o oponente, mas sempre que faz isso será recompensado com um item valioso.

PS4 vs PS4 Pro

E sobre o desempenho do jogo, o que podemos dizer é que ele rodou bem no PS4 Pro. Há dois modos: Qualidade, que permite rodar o jogo na resolução 1800p a 30 fps e a opção Desempenho, que reduz a resolução para 1080p (mesma do PS4 convencional) aos mesmos 30 fps.

Qual o sentido de ter duas opções a 30 fps? Na resolução mais alta é possível notar pequenas quedas na fluidez, mas estas são bem esporádicas. Para quem tem uma TV 4K vale a pena usar esta opção para ter uma imagem mais nítida. Já se você tem uma TV apenas Full HD, mude para o modo desempenho e jogue com fluidez mais estável.

Tudo é apenas fantasia em Ghost of Tsushima?

Existem inúmeros jogos que usam o Japão da era feudal como plano de fundo, mas nem sempre realmente se baseiam em fatos históricos. No caso de Ghost of Tsushima temos uma boa mistura entre história real e ficção.

Como dito, a trama do jogo se passa durante a invasão do exército mongol em 1274 e isso realmente está correto, mas o líder deles (apresentado no começo do jogo como Khotûn Khan) é um personagem puramente fictício.

A honra realmente era muito importante para os samurais como é mostrado no jogo e o fato do exército mongol zombar disso era real. Sempre que um samurai iniciava uma luta ele tinha que deixar isso bem claro para que seu inimigo estivesse preparado.

E assim como o vilão, também não há relatos de que algum samurai parecido com o protagonista do jogo tenha existido e muito menos tenha adotado técnicas furtivas de assassinato. Isso está mais próximo ao que os ninjas empregavam e eles não faziam parte deste cenário histórico na época.

Vale a pena?

Como dito no início, se você é fã da série Assassin’s Creed vai curtir muito Ghost of Tsushima. Agora se você esperava algo mais no estilo Nioh ou Sekiro, ficará decepcionado. O novo jogo da Sucker Punch começa de forma lenta e com uma história morna, mas que conquista por ter uma trama emocional.

Os combates são divertidos, o mapa está recheado de coisas para explorar e a dublagem e a trilha sonora estão impecáveis. Há até um modo em preto e branco para matar a saudade dos antigos filmes japoneses de samurais.

Ghost of Tsushima encerra os exclusivos do PS4 com chave de ouro e podemos dizer que está entre os melhores jogos da plataforma da Sony. Ele vai te garantir dezenas de horas de diversão e exploração. O TudoCelular recomenda Ghost of Tsushima e você pode conferir as melhores ofertas do game abaixo.

Melhores ofertas de Ghost of Tsushima

O jogo foi testado no PS4 Pro em cortesia da Sony Brasil


4

Comentários

Ghost of Tsushima é o Assassin’s Creed com samurais que os fãs esperavam | Análise / Review
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 94.104 mortes em 2.733.677 casos confirmados | Relatório diário

Samsung

Mais nada a esconder! Manual de usuário do Galaxy Watch 3 confirma todos os detalhes

Android

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review

Google

Nearby Share: "AirDrop do Google" começa a chegar aos usuários Android em versão beta