» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!
703

Motorola Moto E5

Review
Custo - benefício
Embalagem e características
Comodidade
Facilidade de uso
Multimídia
Votação Geral
Embalagem e acessórios

A caixa do Moto E5 não tem nada muito especial. É basicamente a mesma coisa daquilo que vimos na família Moto G6, mas com a frente laranja. Dentro dela, temos o aparelho e, embaixo, os acessórios, todos embalados separadamente, mas meio jogados por ali:

  • Extrator da gaveta de chips;
  • Cabo USB para micro usb;
  • Carregador comum, sem suporte a carregamento rápido;
  • Fone de ouvido;
  • E manuais.
Design, tela e som

O Moto E5 chegou ao Brasil nas cores Platinum (ou cinza) e Ouro. O aparelho tem acabamento plástico, sem o espelhamento na traseira que vemos no Moto G6 Play - que é o único da família G6 sem acabamento em vidro, segundo a própria fabricante.

A aparência geral, aliás, é bastante próxima à do modelo mais básico da linha intermediária. A frente tem a tela de 5,7 polegadas na proporção 18:9 e nada de leitor de impressão digital, que fica na parte traseira, embaixo da câmera. A parte frontal é quase toda ocupada pelo display. Mas as bordas ainda são relativamente grandes.

Não seria problema se na parte inferior a gente tivesse o leitor de impressão digital ou botões capacitivos. Mas o que temos é apenas uma borda vazia, com o nome da marca escrito no meio. Na borda superior, a gente tem câmera, alto-falante e flash frontal. Esse alto-falante aqui é responsável tanto pelo áudio das chamadas como pela mídia.

As laterais trazem acabamento em plástico fosco, o que, ao menos, evita as marcas de dedo. Na parte inferior, temos apenas microfone e entrada micro USB, enquanto na direita encontramos os botões de volume e energia. No lado esquerdo, a gaveta de chips, com espaço para dois nano SIM e um micro SD. Na parte de cima, entrada de fone de ouvido e o segundo microfone, de redução de ruídos.

A parte traseira, que é uma outra placa de plástico, tem a câmera principal, com o flash, naquela tampa de bueiro clássica da Motorola, e o leitor de impressão digital. Nada de navegação pelo toque aqui. Segundo a fabricante, ficaria desconfortável para o usuário.

Uma das maiores mudanças em relação aos modelos da geração passada é que não há mais traseira removível aqui. O Moto E5 tem uma gavetinha na lateral esquerda para inserir dois chips de operadora e um cartão micro SD. Isso mesmo, cabem os três ali dentro, você não vai precisar escolher entre aumentar o espaço interno ou usar uma segunda linha.

Em resmo, a aparência é realmente muito próxima à do Moto G6 Play. Acima, você pode comparar os tamanhos do E5 com seu antecessor e com o dispositivo mais básico da linha intermediária, com informações também da resolução e tamanho da tela.

Já falamos brevemente sobre a tela, que é IPS LCD, tem 5,7 polegadas, na nova proporção, e usa resolução HD+. A qualidade de exibição do conteúdo está dentro do esperado para a faixa de entrada. Nada espetacular, mas é boa.

O brilho também não deixa a desejar, como vimos em um comparativo com dispositivos mais caros que o Moto E5. com visualização ok para ambientes com muita luz, como na rua, com o sol forte, ou no escuro, baixando para um mínimo razoavelmente confortável, que não vai prejudicar muito sua vista.

Dá para trocar o modo de cor, escolhendo entre o padrão e intensidade, com 3 níveis cada: neutro, frio ou quente. Isso deve ser suficiente para agradar à maioria dos usuários, mesmo sem opções muito complexas.

Quanto ao áudio, a qualidade não é das melhores, mas é aceitável para um dispositivo básico. O som é um pouco abafado, mas o nível de volume é bom.

Hardware, desempenho e jogos

Quem compra um dispositivo de entrada não está muito preocupado com o desempenho, a gente sabe. O Moto E5 tem hardware bem modesto, mas ao menos entrega uma experiência satisfatória ao usuário. Pode não ser o dispositivo mais veloz para abrir aplicativos e trocar processos, mas sua performance já está bem superior aos smartphones de entrada que testamos no ano passado.

Nesse sentido, o chipset Snapdragon 425, da Qualcomm, com seu processador de quatro núcleos com clock de até 1,4GHz, GPU Adreno 308 e 2 GB de memória RAM é suficiente para um uso básico.

A primeira volta de nosso teste de velocidade do Moto E5 demorou um 1min37s para ser completada. E, com praticamente todos os aplicativos recarregando do zero, a segunda volta teve o mesmo tempo. Sendo assim, o tempo total ficou em 3min14s.

Até que não está tão ruim, se você observar que o Moto G5, que tem o Snapdragon 430, com processador de oito núcleos, foi mais devagar que o modelo de entrada de 2018. Nem preciso dizer que o tempo também é melhor que o da família Moto E4.


Quanto aos benchmarks, nenhuma surpresa por aqui. O Moto E5 entregou resultados esperados para um dispositivo de entrada, ficando na mesma faixa, por exemplo, da apresentada pelo Redmi 5A, que tem o mesmo hardware. Eis as pontuações:

  • AnTuTu: 44.747 pontos
  • GeekBench:
    • CPU: 656 / 1.839
    • GPU: 1.422
  • 3D Mark: 68 pontos no Sling Shot
  • GFX Bench:
    • Manhattan: 5,7 / 2.8 fps
    • T-Rex: 13 / 7,6 fps

Nos jogos, novamente performance dentro do esperado. Ao menos o usuário pode curtir uma jogatina de títulos mais leves sem grandes percalços, e até mesmo arriscar alguns mais pesados, como o Asphalt 8, com taxa de quadros razoável.

FPS CPU GPU Memória
Asphalt 8 44 21% - 570 MB
Clash Royale 53 12% - 330 MB
Injustice 2 24 23% - 576 MB
Modern Combat 5 25 70% - 484 MB
PUBG Mobile 23 44% - 682 MB
Subway Surfers 52 - - -
Vainglory 33 16% - 386 MB
Bateria e software

O grande destaque do Moto E5 é a sua bateria de 4.000mAh. É a mesma capacidade do Moto G6 Play, que ainda tem tela de mesmo tamanho e com a mesma resolução.

Porém, com um processador mais modesto, e com a metade dos núcleos - são só quatro no Moto E5 - o smartphone de entrada conseguiu autonomia para quase dois dias de uso fácil.

O grande problema fica para a ausência do carregador Turbo Power na caixa, então a recarga com o adaptador que acompanha o produto é bem demorada. Se você tem um adaptador com o carregamento rápido, pode usar sem problema, que vai funcionar.

Após um dia e meio de testes, chegamos aos seguintes resultados sobre a bateria do Moto E5:

  • O carregador padrão demora 2 hora e 24 minutos para encher totalmente a bateria de 4.000 mAh, conseguindo aproximadamente 48% após uma hora conectado à tomada.
  • Foram necessárias 22 horas e 26 minutos para esgotar a bateria do Moto E5, que ficou com apenas
  • A tela permaneceu ligada por 11 horas e 55 minutos.
  • Neste período foram feitas ligações que totalizaram 60 minutos.
  • Realizamos 16 ciclos e meio de testes que incluíram:
    • 96 minutos de navegação no Chrome;
    • 480 minutos de WhatsApp, Spotify, PowerAmp, MX Player e YouTube (96 minutos cada);
    • 90 minutos de jogos (Pokémon Go, Subway Surfers, Candy Crush, Injustice, Modern Combat 5 e Asphalt 8);
    • 90 minutos de Facebook, Gmail e Google Maps (30 minutos cada);
    • 60 minutos de chamadas de voz via 3G/4G;
  • Temperatura da bateria ficou entre 23 e 33°C na maior parte do teste.

Quanto ao software, a Motorola já oferece o Android 8.0 Oreo de fábrica, mas avisa que não há previsão para que o dispositivo receba atualizações, além dos pacotes de segurança. E mesmo esses chegam com escassez.

Câmera

A câmera é mais um quesito pouco importante para quem compra um smartphone barato. Mas nem por isso o Moto E5 deixa de entregar bons resultados. O Moto E5 tem câmera principal de 13 megapixels f/2.0 e frontal de 5 MP f/2.2, ambas com auxílio do flash para fotos em ambientes com pouca luz.

Na comparação com a qualidade das imagens tiradas com o antecessor, o Moto E4, o salto foi bem grande. O E5 consegue captar ótimas imagens com luz ideal, e também não chega a ser ruim com pouca luz. A quantidade de ruídos é bem menor que o antecessor, por exemplo, e as fotos ficam menos tremidas.

Aliás, a qualidade é comparável - e às vezes até supera - o Moto G5S. Com relação ao vídeo, a qualidade também fica equiparável à do modelo intermediário de geração passada.

Pontos positivos e negativos

Pontos positivos:

  • Autonomia de bateria para até dois dias de uso;
  • Desempenho bom para um dispositivo de entrada;
  • Câmera com boa qualidade para a faixa de preço;
  • Espaço para dois chips de operadora e micro SD para expandir o armazenamento.

Pontos negativos:

  • Armazenamento interno baixo;
  • Atualizações escassas;
  • Preço alto para o que oferece.
Avaliação final do Tudocelular
Custo - benefício

O Moto E5 não é m dispositivo barato, mas entrega boa experiência para a categoria de entrada.

Embalagem e características

Acesssórios com boa qualidade, embalados separadamente, apesar de ficarem misturados na parte inferior da caixa. Um adaptador Turbo Power seria bem vindo.

Comodidade

Os smartphones com tela 18:9 oferecem muito boa pegada e conforto no uso. O Moto E5 não é pesado para um dispositivo com bateria de 4.000mAh.

Facilidade de uso

Interface conhecida pela maior parte dos usuários Android, sem grandes segredos e sem muitas funcionalidades desnecessárias.

Multimídia

Sistema de som é bom, apesar de abafado e mono. A tela tem boa qualidade para a faixa de preço.

Votação Geral

O Moto E5 é um bom smartphone, e seria uma recomendação fácil, não fosse o preço alto. Há opções com mais armazenamento interno e que recebem mais atualizações no mercado nacional.

Video

Onde Comprar

As melhoras ofertas para o Motorola Moto E5