LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Primeira ação judicial da Epic contra a Apple tem resposta de juíza; veja o que acontece

25 de agosto de 2020 17

Em decorrência do banimento de Fortnite da App Store – e também da Play Store, do Google – a Epic Games decidiu dar início a uma série de ações legais contra a Apple e o Google. Mas parece que contra a Maçã a briga começou a tomar proporções maiores, desde que a fabricante de celulares bloqueou, também, todas as seis contas da produtora da plataforma de desenvolvedores para iOS e macOS.

Por conta disso, outra ação judicial foi proposta pela Epic, com a justificativa de que a atualização para Fortnite não impacta a Unreal Engine, por exemplo e, dessa forma, somente a conta de Fortnite pode ser bloqueada, e não todas elas.

Agora, alguns dias após o início dessa “guerra”, uma juíza tomou decisão, nesta segunda, 24 de agosto, em favor parcial da Apple. De acordo com a magistrada Yvonne Gonzalez Rogers, a Epic Games violou o contrato com a Apple ao atualizar o aplicativo do Fortnite sem comunicar à empresa de Cupertino. A juíza explica, ainda, que a Epic não sofreu danos irreparáveis após a exclusão de Fortnite da loja de aplicativos da Apple.

Em contrapartida, Rogers se posicionou ao lado da Epic para defender a permanência da conta da Unreal Engine na plataforma de desenvolvedores para iOS e macOS. Quanto à isso, ela argumenta que esse bloqueio afeta terceiros, que utilizam as ferramentas da Unreal Engine em suas aplicações.

De volta ao imbróglio que envolve a permanência de Fortnite na App Store, Rogers explica que a solução cabe à Epic Games e, portanto, a produtora deve disponibilizar uma nova atualização que reverta o sistema de pagamentos direto no aplicativo, de forma que os usuários voltem a comprar os pacotes do jogo pela App Store. A magistrada ressaltou, ainda, que foi a própria Epic Games que deu início ao conflito ao liberar essa atualização.

A juíza ainda lembrou que um corpo de especialistas será ouvido pela corte para decidir se a fatia de 30% sob cada compra na App Store cobrada pela Apple indica comportamento anti-competitivo, mas que duvida que um deles irá sugerir uma alternativa diferente: “Embora o Tribunal preveja que os especialistas opinarão se os 30% da Apple são anticompetitivos, o Tribunal duvida que um especialista sugira uma alternativa de 0%. Nem mesmo a Epic Games distribui seus produtos de graça.”

Por fim, a decisão de manter a conta da Unreal Engine nas plataformas de desenvolvedores da Apple é apenas uma ordem de restrição temporária, de modo que a Epic ainda precisará apelar contra a decisão da maçã e aguardar por um posicionamento do tribunal até o final de setembro.


17

Comentários

Primeira ação judicial da Epic contra a Apple tem resposta de juíza; veja o que acontece
  • Pra mim o unico erro do iphone é ter somente acesso a uma loja, se tivesse acesso a instalar apps por fora esse problema acabava.

      • Uma pena a epic ter perdido, acho muito a mordida de 30% da Apple, até 20% seria justo, visto que a Apple não despesa com a sua loja.

        • Bom se quer ter o jogo nas lojas tem que aceitar as regras (ou pelo menos tentar negociar algo antes de fazer uma pilantragem dessas de venda).

            • Podiam cobrar mais 15% e cobrar os mesmos 30% ja que ela cobra mais barato, e usar a grana extra pra fazer um launcher decente ao invés de ser uma pilantra. Todas cobram

                • Epic é uma empresa safada demais

                  • Desenvolvedores só pagam à Epic após um jogo render acima de um certo valor. Seria curioso ver um dos clientes da Epic se recusar a pagar afirmando que a Epic tem um monopólio sobre o uso da plataforma que ela mesmo criou e desenvolve. Não há mocinhos nesta história, apenas um bando de capitalistas vorazes querendo ganhar mais dinheiro. Contudo, eu particularmente tenho nojo da estatégia da Epic de tentar influenciar um monte de adolescentes em achar que a Apple é a única vilã nesta história.

                      • Exatamente!
                        É só imaginarem a seguinte situação:
                        Você é dono de uma loja, com alta demanda e vários clientes. Daí chega uma empresa que fabrica um certo produto e quer vender esse produto na sua loja.
                        - Claro, vamos vender esse produto, vai vender bastante! O que eu ganho com as vendas ?
                        - Nada...

                        • Pra quem ta defendendo, Nem a Epic distribui nada de graça em sua loja. O que ela quer é manter o jogo gratuito na loja da apple e google, mas que a venda de itens do jogo (o que realmente trás o lucro) seja feita de forma direta, sem pagar nada. O problema não é ela não querer pagar a porcentagem da loja (que todos sabem que é alta, mas é valor padrão pra todos), o problema é que ela não quer pagar é taxa alguma. Pensa se ela entra nessa de não querer pagar nada com a Sony e Microsoft....

                            • Prova disso foi que a própria Epic tentou uma licença especial com a Apple antes desse rolo todo. Apple tivesse cedido nada disso estaria acontecendo. E tem gente que engole o discurso de "amiga dos gamers" ainda.

                            Android

                            Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

                            Android

                            Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

                            Windows

                            Versão 122 beta do Microsoft Edge com melhorias e atualização de recursos

                            Economia e mercado

                            Vídeo gravado por passageiro mostra interior de aeronave após acidente no Japão; assista