LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Cyberpunk 2077: faça o jogo que você quiser quantas vezes desejar | Análise / Review

14 de dezembro de 2020 18

Esperado desde a fase inicial de sua produção, em 2016, o jogo Cyberpunk 2077 finalmente fez a sua estreia no último dia 10 de dezembro de 2020, mas ficou marcado pela quantidade de bugs encontrados durante a campanha.

O game está disponível para PlayStation 4, Xbox One, Google Stadia e PC, com previsão de lançamento para a nova geração de consoles – PlayStation 5 e Xbox Series X|S – em 2021. O TudoCelular testou o jogo no console da Microsoft, após a liberação do patch de correção de dublagem, para saber o que ele pode entregar a você.

Night City e o contexto

Cyberpunk 2077 é situado em um mundo cheio de paradoxos. Começa pela cidade onde a maior parte dos acontecimentos ocorre: Night City. Ela possui um entorno rural e consiste em uma metrópole de alta tecnologia. Ela é considerada um dos principais centros urbanos da América do Norte, como a localidade central daquele território.

Dentro do município, o que mais há e violência e corrupção. Por outro lado, a ficção científica reina quando são mostradas as substituições de partes do corpo por máquinas, as quais prometem potencializar as funções daqueles órgãos trocados.


Outro ponto a se destacar é a multiculturalidade presente no cenário. São frequentes as vezes nas quais você consegue encontrar edifícios típicos de países ocidentais, ao lado de estabelecimentos orientais. Devido à customização tecnológica do seu corpo, este é um ambiente em que você pode se tornar quem ou o que quiser.

Enquanto o visual visa a pluralidade, Night City sempre se mostra uma cidade pouco agradável de se viver, caso você não tenha dinheiro ou poder. O lugar é controlado pela empresa Arasaka e outras companhias, que dominam a economia local. Por outro lado, as gangues passam a ter papel fundamental na batalha por relevância. Não são raras as vezes que você vai precisar subornar um guarda ou até mesmo ir em missões nas quais descobrirá corpos assassinados.


V, o protagonista

É neste contexto que surge V, o protagonista da trama. Você pode escolher entre três classes: Marginal, para fazer parte das gangues da cidade; Nômade, alguém que se muda das Terras Baldias para a metrópole e agora precisará realizar atividades perigosas para sobreviver; e Corpe, para ser um funcionário de uma grande empresa de Night City.

Cada opção irá permear a história para caminhos completamente distintos. Os diálogos mudam, assim como as interações com NPCs e o decorrer dos acontecimentos. Isso mostra a complexidade trazida para Cyberpunk 2077.

Outra característica relevante do título é a vasta possibilidade de personalização. Você pode mudar desde itens simples, como o estilo do cabelo, até outros mais complexos, tal qual o tamanho do órgão íntimo – sim, você leu certo.


Mas essas características servem mais para tornar a sua versão do V muito mais única. Isso porque, no jogo em si, não terá tanta influência o jeito que você customizará seu personagem. Afinal, este é um jogo essencialmente em primeira pessoa – a não ser alguns momentos nos quais você está dirigindo o carro.

Desta maneira, dificilmente verá o protagonista, a não ser no espelho presente no seu apartamento ou em situações muito específicas. Porém isso não é um ponto negativo. Explicaremos logo mais.

Imersão e interatividade

Cyberpunk 2077 é um RPG de mundo aberto, o que dá uma sensação de grande imersão no game. O jogador consegue viajar por Night City e explorar diversos pontos dela. Uma experiência semelhante ao encontrado na franquia GTA.

V também consegue interagir com vários NPCs e objetos do cenário. Dá para pegar uma garrafa de água qualquer e beber o líquido, ou tentar abrir uma porta trancada, mesmo que você saiba que não irá conseguir o feito.

Aqui também é possível analisar a importância de ser um game em primeira pessoa. Com a visão da forma que o personagem vê, combinada às possibilidades de interatividade com o ambiente e os objetos, a imersão no jogo fica completa e te deixa por horas envolvido no jogo sem perceber o tempo passar.


A interatividade também pode definir o tempo para zerar o jogo. Isso porque você tem a opção de prolongar diálogos, escolher mais missões ou navegar pelo mapa do jogo; ou simplesmente agilizar o processo.

E esse é um ponto importante, visto que não existe um único caminho a se trilhar no game – e a depender das suas decisões, o desfecho será de uma forma diferente do que se você tivesse optado por ações distintas.

Gráficos

Um ponto de muito questionamento sobre o jogo foi em relação aos gráficos, devido aos vários problemas encontrados no game. Mas dos bugs, falaremos mais tarde. Em condições normais, Cyberpunk 2077 é um game satisfatório na qualidade visual e no realismo.

Mundo aberto em forma de cidade, com uma série de detalhes, outdoors, personagens e objetos. Parece simples construir um cenário desse jeito, mas se você se atentar à riqueza de informações inseridas no ambiente do jogo para chegar no resultado final, perceberá que o trabalho foi complexo e bem feito.

Dublagem perfeita

Há algumas características que podem passar despercebidas ou parecer naturais no jogo real, mas fazem grande diferença na experiência do jogador. Uma delas é a dublagem – ou não – dos games.

No caso de Cyberpunk 2077, pode ser colocada como um dos grandes diferenciais do título. A dublagem ficou impecável e dá o tom que o jogo precisa para ter emoção. As falas estão naturais e espontâneas, sem medo de se adaptar ao mundo que é exibido na narrativa.

Em outras palavras, você terá aqui uma dublagem com palavrões, sotaques – para se adaptar ao personagem –, gírias e até os próprios personagens foram programados para mexerem a boca conforme o idioma falado. Tudo isso mostra a preocupação dos desenvolvedores de tornar até essa característica uma qualidade do game.

Destaque também para o elenco de dublagem reunido para o jogo. Entre os principais nomes, estão Fabrício Vila Verde, Érika Menezes e Reginaldo Primo.

E os bugs?

Chegamos ao ponto mais falado nos primeiros dias de lançamento do jogo: os bugs. O teste do TudoCelular já foi feito após o download do patch para Xbox One que corrigiu o problema da dublagem e outros erros.

Mesmo assim, foi possível notar alguns problemas pequenos, como trepidações na hora de colocar uma maleta no porta-malas do carro ou uma queda na resolução ao interagir dentro do veículo com um contratante de uma missão – como você pode ver na imagem acima.

Considerações finais

Cyberpunk 2077 pode ser tratado como uma obra-prima do mundo dos games, para ser lembrado até pelas próximas gerações. O jogo demorou para chegar, mas veio para ficar no meio dos jogos.

Ele surpreende por trazer complexidade pouco vista entre os jogos desta geração, com história completamente interativa e variável, além de elementos que proporcionam imersão no jogo – como primeira pessoa, gráficos, mundo aberto e a própria dublagem muito natural e bem produzida em português.

A possibilidade de construir várias histórias e zerar o jogo em diferentes quantidades de tempo garantem a longevidade aqui. Você vai concluir e querer jogar de novo, mas com classe diferente, ou resolver fazer tudo diferente do que você realizou da vez anterior. As opções são variadas.

Os bugs que ainda restam são corrigíveis por atualizações e serão superados com o tempo. Os principais já foram corrigidos, enquanto os demais restantes afetam menos – ou, a depender, não são tão percebidos – na experiência do jogador.

História variável e complexaImersão e interatividadeNight CityGráficosDublagem
Personalização excessivaBugs no jogo

Vale a pena?

Para os amantes de games, Cyberpunk 2077 é um jogo necessário de se colocar no portfólio dos já aproveitados. Assim como outros já marcaram época no passado, o novo título da CD Projekt tem todas as características para entrar na história dos videogames e colocar seu nome em definitivo nesta época de transição de gerações.

O game pode ser comprado por R$ 279,90 para PlayStation 4; R$ 249,90 na versão de Xbox One; ou R$ 199,90, em sua edição de PC – nas plataformas Steam e Epic Games Store. Você também pode encontrá-lo em mídia física, pelas ofertas localizadas abaixo deste texto.

E para você, Cyberpunk 2077 tem potencial de fazer história no mundo dos games? Compartilhe conosco a sua opinião!

*Agradecemos à assessoria da CD Projekt por ceder uma cópia do jogo “Cyberpunk 2077” para Xbox One ao TudoCelular para esta análise.


18

Comentários

Cyberpunk 2077: faça o jogo que você quiser quantas vezes desejar | Análise / Review
Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Especiais

Nada de Black Fraude! Ferramenta do TudoCelular desvenda ofertas falsas