LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Bateria insuficiente: brasileiros estão entre os que mais recarregam o smartphone

20 de outubro de 2016 19

O relatório Global App Power Consumption (Consumo Global de Energia por Apps, em tradução livre), que acaba de ser publicado pelo DU Group, pertencente ao Baidu – o Google chinês – mostra o quanto os brasileiros sofrem com a vida da bateria de seus smartphones.

Segundo os dados do documento, o país é o segundo no ranking dos povos que ficam menos tempo longe das tomadas, com um tempo em standby (entre a desconexão do carregador até o início da próxima carga) médio de 17,9 horas. Apenas os indonésios ficam à nossa frente, com 12,8 horas entre uma carga e outra.

Isto significa que o brasileiro médio faz uma carga em seu smartphone a cada dia e meio, praticamente, enquanto os indonésios ficam pouco mais de meio dia longe das tomadas. Os usuários dos Estados Unidos ficaram com a terceira posição, com média de 18,2 horas, pouco a mais que nós.

Enquanto isso, na Alemanha, o usuário de smartphone médio fica quase um dia e meio longe das tomadas, com 32,1 horas entre cada carga. Nova Zelândia (27,7 horas) e Austrália (26,7 horas) completam o pódio dos povos que menos carregam seus smartphones.

A média global é de 21,7 horas entre cada carga, o que significa que a maioria dos usuários carrega o smartphone todos os dias. Foram analisados apenas os dispositivos Android.

Tempo longe da tomada em média por continente

Apps mais gastões e apps "verdes"

O estudo ainda separou os apps em quatro categorias: aqueles que consomem mais energia, rotulados com a etiqueta vermelha; os menos gastões, etiqueta verde; aqueles que consomem bastante em primeiro plano e pouco em segundo, etiqueta branca; e os que drenam energia em segundo plano, mas não gastam tanto em primeiro, etiqueta preta.

  • Twitter, Viber, Spotify e outros apps populares são classificados como verdes, devido ao fato de consumirem menos energia que a média ao rodar em primeiro ou em segundo planos.
  • Clash of Clans, Subway Surfer, Candy Crush Saga e outros jogos populares são classficados como vermelhos, por consumirem a vida da bateria em uma quantidade acima da média ao rodar em primeiro ou em segundo planos.

Outros pontos destacados pelo estudo são:

  • Jogos educacionais são os que mais consomem energia no primeiro plano;
  • Apps de saúde e esportes drenam mais bateria ao rodar em primeiro e segundo plano;
  • Aplicativos de apostas gastam mais bateria em segundo plano;
  • Apps de utilidades são a maioria dos rotulados como verdes
  • Jogos dominam os apps rotulados como vermelhos, com o Snapchat como intruso;
  • Há menos aplicativos categorizados como brancos ou pretos.

Os dados foram obtidos com a ajuda da M2 Catalyst, enquanto a popularidade dos aplicativos Android foi verificada de acordo com listagem da App Annie. As informações foram coletadas durante o último trimestre.


19

Comentários

Bateria insuficiente: brasileiros estão entre os que mais recarregam o smartphone
  • Deveriam é acabar com o sinal 3G e deixar somente o 2G e 4G, um para funcional simples chamada e mensagens e o para dados, e melhorar essas duas antenas

      • Eu sou muito a favor das empresas de celulares sempre evoluir no sentido de ampliar tecnologias e fazerem celulares com melhor desempenho, contudo parece extremamente falta de bom senso criar aparelhos com tela com altíssima densidade de pixels (pra mim celulares com telas 1080p, notebooks com 1440p já são excelentes), não precisamos de celulares com Resolução 4K. Fico felizes com criações de Chips de fabricação mais e mais aprimoradas (14nms Finfet, 10nms, 7nms...assim por diante), mas gostaria que isso acontecesse não para que empresas possam fazer celulares mais finos (não me atrai tanto isso e nem é tão ergonômico na mão) e baterias com menos amperagem.
        Ao meu ver não faz o menor sentido ter um celular que filma a 4K ou joga todos os jogos da PlayStore ou AppStore no máximo de quadros por segundos,sendo que isso acontece em Aparelhos "High-End", mas você não pode faze-lo, pois seu celular não vai conseguir chegar ao final da noite (as vezes nem ao final da tarde) por falta de bateria!Eu defendo que cada vez mais necessitamos de Autonomia de Bateria, pra ter acesso, ler, se divertir com seu aparelho na hora que precisar. Não precisamos tanto assim de celulares com cada vez mais pontos de Benchmarks se o que temos hoje já é tão funcional.

          • Concordo. Basta a pessoa fazer o seguinte teste.
            Concordo que a internet ruim contribui pela alta oscilação de sinal.
            Mas o que mais gasta bateria é jogo.
            Se a pessoa jogar umas 3h por dia isso torra muito a carga. Seja pelos altos gráficos e temperatura do aparelho.
            Meu sobrinho recarrega 2x ou 3x ao dia por causa de jogo e youtube. Tem um g4 play.....

            • Fácil explicar, a infraestrutura brasileira é a mais precária, o sinal 3G consome 3x mais energia em boas condições, e aqui no Brasil como o sinal sempre varia em ~40%... Fica fácil entender...

              • Não só aplicativos que consomem muita bateria, o sinal ruim das operadoras também são um vilão e tanto de bateria, a tim está péssima de sinal 2G, caindo o tempo todo

                • eu sou viciado em carga se vejo que baixou 20% já coloco no caregador.

                  • Eu sou um desses kkk carrego duas vezes

                      • Cara bateu um medo aqui!! Quando eu li BAIDU apareceu uma mensagem de BAIDU FOI INSTALADO CORRETAMENTE. Que filho da mãe !!

                          • Eu tive um galaxy ace 4 em 2013 e carregava mais de uma vez por dia, fui para o Lumia 630 no começo de 2014 e carregava um dia e meio, depois para o 635 e voltei a carregar uma vez por dia em torno de 24 horas e agora no lumia 640 XL carrego a cada 35 horas

                              Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

                              Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

                              Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

                              Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo