LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Procon multa iFood em R$ 1,5 milhão por não provar segurança de dados dos clientes após invasão

09 de dezembro de 2021 22

Atualização (09/12/2021) - DT

O aplicativo de delivery iFood foi multado pelo Procon do Rio de Janeiro no valor de R$ 1,5 milhão por não fornecer as informações necessárias que comprovam a segurança dos dados pessoais dos clientes após uma invasão sofrida pela plataforma.

De acordo com o órgão de defesa do consumidor, o iFood informou que não houve nenhum vazamento de dados pessoais nem de cartões de débito ou crédito cadastrados, mas não apresentou documentos que provam essa afirmação.

O Procon/RJ pediu ainda mais detalhes sobre os estabelecimentos afetados pela invasão, como por quanto tempo os nomes ficaram alterados, qual foi o prazo para correção do sistema e quantas compras foram realizadas no período.

Após o iFood não apresentar nenhuma prova sobre a manutenção da integridade dos dados dos seus clientes, o órgão decidiu multar a empresa. Essa não é a primeira vez que o aplicativo se envolve em acusações de exposição de informações.


A invasão em questão aconteceu no início do mês de novembro e ficou marcada pela troca dos nomes dos estabelecimentos por mensagens de apoio ao presidente da república Jair Bolsonaro (PL) e contra os seus adversários políticos.

No dia seguinte, o iFood confirmou que um funcionário de uma empresa terceirizada foi o responsável por mudar nomes dos restaurantes e informou que iria ressarcir os estabelecimentos prejudicados pela ação.

A polêmica que envolveu diversos nomes de restaurantes cadastrados no iFood deu mais um passo rumo a uma resolução nesta quinta-feira (4). A plataforma anunciou que vai ressarcir os estabelecimentos que tiveram o nome alterado para discursos políticos e antivacina.

De acordo com o aplicativo de delivery, o caso não foi resultado de ação de hackers. Um funcionário terceirizado com acesso ao sistema de registro dos nomes dos estabelecimentos foi o responsável pela situação. Ao G1, um porta-voz da empresa alegou que "os pedidos cancelados por conta do incidente serão devidamente ressarcidos aos restaurantes."

O iFood ainda afirmou que o incidente atingiu cerca de 6% dos restaurantes cadastrados, mas não comprometeu os dados de pagamentos dos clientes. Entre os nomes trocados, estavam mensagens como “Lula Ladrão”, “Vacina mata” e “Bolsonaro 2022”. As mudanças nos nomes foram observadas em cidades como Osasco, em São Paulo, e Natal, no Rio Grande do Norte.


O aplicativo de delivery iFood se pronunciou de forma oficial novamente, nesta quarta-feira (3), sobre o episódio ocorrido na noite de terça (2), quando diversos restaurantes cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados para discursos políticos e antivacina.

De acordo com o serviço, o responsável pelas mudanças foi um funcionário de uma empresa prestadora de serviço do setor de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida.

O iFood informou ainda que o contrato com essa prestadora de serviço foi imediatamente interrompido logo após o acontecimento, e que os nomes dos restaurantes já estão sendo restabelecidos.

A empresa afirmou ainda que os meios de pagamento dos clientes não foram afetados e estão seguros, já que esses dados não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários.


Por fim, o aplicativo informou que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais de usuários, estabelecimentos ou entregadores cadastrados na plataforma.

A prestadora de serviços, responsável pelo funcionário que fez as modificações indevidas, não foi identifica e não se sabe também quais medidas administrativas, como suspensão ou demissão, por exemplo, além de jurídicas o colaborador vai enfrentar.

O que você pensa sobre o ocorrido com o iFood? Deixe a sua opinião nos comentários logo abaixo!

Quem utiliza o iFood ou está por dentro das redes sociais na noite desta terça-feira (2), deve ter notado que houve alterações dos nomes de restaurante em diversas cidades pelo Brasil. Usuários relatam que os locais passaram a ser intitulados com discursos políticos ou antivacina.

Entre as principais frases com cunho político encontradas, estão “Lula Ladrão” e “Bolsonaro 2022”. Além disso, foram encontrados alguns estabelecimentos com os dizeres “Vacinas Matam”, declaração improcedente segundo a ciência, ou desrespeitos contra Marielle Franco, vereadora carioca assassinada em 2018. Veja exemplos abaixo:

Outros apenas visualizam a mesma lista de restaurantes em todas as abas do aplicativo, sem mudança conforme a categoria selecionada – como Restaurantes, Mercados, Farmácias e Pets, por exemplo.

Até o momento de publicação desta matéria, não houve normalização do aplicativo. Há recursos instáveis, como a própria busca de itens, que resultam na mensagem “Tivemos um problema por aqui. Por favor, tente outra vez”.

O que pode ter ocorrido? Preciso excluir meus cartões cadastrados do app?

Apesar de não haver uma confirmação sobre a causa do problema até o momento, tudo indica que houve um ataque cibernético interno, para ter essas alterações dentro da plataforma.

Contudo, vale ressaltar pontos para não existir qualquer alarmismo ou atitude desesperada sem procedência: de acordo com o app, não são armazenadas as informações de cartão de crédito dos clientes. Portanto, não é necessária a remoção deles do aplicativo, como muitos têm solicitado nas redes sociais, bem como as senhas do app.

Caso realmente tenha ocorrido vazamento dos dados de pagamento dos clientes, a solução adequada não seria excluir do serviço, uma vez que a coleta já teria acontecido antes mesmo de as mudanças aparecerem, mas sim deletar ou trocar o cartão em si. No entanto, reforçamos que – até o momento – nenhuma atitude parece ser necessária.


Resposta oficial

Em nota enviada à imprensa, o iFood negou a possibilidade de vazamento dos dados de seus usuários, assim como as informações de cartão de crédito. Confira a nota na íntegra a seguir:

“Na noite de hoje, 2 de novembro, o iFood identificou que alguns estabelecimentos cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados. Aproximadamente 6% dos estabelecimentos foram afetados. A empresa tomou medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores.


Em investigações preliminares, a empresa informa que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito.”


iFood

Você chegou a encontrar algum restaurante com o nome modificado na noite desta terça-feira no iFood? Relate para a gente no espaço abaixo.

iFood - Delivery de Comida

Desenvolvedor: iFood

Grátis - oferece compras no app

Tamanho: Variasegundo a plataforma


22

Comentários

Procon multa iFood em R$ 1,5 milhão por não provar segurança de dados dos clientes após invasão
Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Windows

Versão 122 beta do Microsoft Edge com melhorias e atualização de recursos

Economia e mercado

Vídeo gravado por passageiro mostra interior de aeronave após acidente no Japão; assista