LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Nova pesquisa desenvolve pele artificial com velocidade de reação similar ao corpo humano

08 de setembro de 2020 0

A Medicina vem avançando a passos largos nas últimas décadas, contando com pesquisas que encontraram novos métodos para examinar o coração por meio de microlasers, e obviamente inúmeros estudos que buscam uma vacina para barrar o avanço da COVID-19, estando os esforços da Rússia e do laboratório norte-americano Moderna em destaque. Agora, a mais recente novidade deve beneficiar usuários de próteses, pessoas que sofreram sérias queimaduras e até mesmo a área da robótica.

Cientistas da RMIT University, em Melbourne, na Austrália, acabaram de anunciar o desenvolvimento de uma pele artificial capaz de reagir a estímulos de dor, pressão e temperatura na mesma velocidade que a pele humana, de maneira quase instantânea. A tecnologia é composta por sensores elásticos extremamente finos e células de memória semelhantes às encontradas no cérebro.


"Nossa pele artificial reage instantaneamente quando a pressão, calor ou frio atingem um limiar doloroso. É um passo crítico em frente no desenvolvimento futuro dos sofisticados sistemas de feedback de que precisamos para fornecer próteses verdadeiramente inteligentes", disse Madhu Bhaskaran, líder da pesquisa.

A pele artificial atingiu o novo nível de velocidade replicando a estrutura dos neurônios, combinando as tecnologias de eletrônica extensível, que combina compostos de silício para desenvolver eletrônicos transparentes e inquebráveis, de revestimentos sensíveis a temperatura mil vezes mais finos que um fio de cabelo e as células eletrônicas de longo prazo para gravar e reter informações antigas.


A novidade ainda está em seu estágio inicial de desenvolvimento, e infelizmente ainda deve demorar para vermos seu uso prático. Ainda assim, seus usos já são claros, envolvendo próteses que entregam a sensibilidade da pele natural, enxertos de pele menos invasivos e sensíveis, bem como robôs capazes de replicar a fragilidade humana.


0

Comentários

Nova pesquisa desenvolve pele artificial com velocidade de reação similar ao corpo humano
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 135.793 mortes em 4.495.183 casos confirmados | Relatório diário

LG

Moto G8 Plus vs LG K51S: mais câmeras fazem fotos melhores? | Comparativo

Android

Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Agosto 2020

Android

Novo Tracker 2021: app e WiFi a bordo fazem diferença? | Análise / Review