LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Xiaomi Mi Pad 5: tablet tem bom custo-benefício, mas com ressalvas | Análise / Review

14 de dezembro de 2021 34

Anunciado em agosto internacionalmente e disponibilizado oficialmente no Brasil no começo do último mês de novembro, o Xiaomi Mi Pad 5 chegou sob a proposta de ser uma boa escolha para quem procura um tablet premium, mas sem abrir mão do fator custo-benefício.

Mas a pergunta que fica é: será que o tablet da gigante chinesa tem o que é suficiente para cumprir sua proposta e bater de frente com a concorrência? É isso que você descobre a seguir na nossa análise completa.

Design e construção

Comercializado em uma caixa robusta – até por conta do seu tamanho, o Mi Pad 5 vem acompanhado dos itens que já estamos acostumados a ver nesse tipo de produto: carregador, manuais e certificados de garantia.

Dono de um acabamento premium, pesando pouco mais de 500g, com laterais em alumínio e traseira que lembra alguns celulares da linha Redmi – como o Note 10 Pro, o design do tablet é bastante agradável e minimalista.

Nas laterais, apenas o botão de volume, o conector magnético para anexo de acessórios e alguns microfones. Nas partes superior e inferior, apenas as saídas de áudio, mais alguns microfones, entrada USB Tipo-C para carregamento e botão liga\desliga.

Aqui, uma marca a laser indica a qualidade da reprodução de mídia: temos suporte ao Dolby Vision Atmos.

De forma geral, podemos dizer que a Xiaomi acertou na escolha dos materiais, mesclando bem o acabamento do fundo em plástico fosco com o vidro do módulo da única câmera traseira e com as laterais de alumínio.

Em mãos, podemos dizer que o tablet passa a sensação de que estamos, de fato, lidando com um dispositivo premium, e apesar desse ponto ser um tanto quanto subjetivo, acreditamos que o visual foi um ponto de acerto.

Quanto a pegada, o seu aspecto “grandão” pode dividir opiniões.

Tela e som

Para quem procura por mobilidade, o Mi Pad 5 pode não ser exatamente a resposta. Dono de uma tela de 11 polegadas de resolução 1600 x 2560 pixels, com 1 bilhão de cores, taxa de atualização de 120Hz e proporção 16:10, apesar das bordas finas, é incontestável que o tablet pode ser grande demais para quem busca um companheiro compacto.

No entanto, se esse não é um ponto de preocupação e o que se procura é uma ótima tela para consumir conteúdo, o display do Pad 5 só não esbanja mais por não ser do tipo AMOLED. No entanto, apesar do seu LCD IPS, as cores reproduzidas são excelentes e bastante vivas. Além disso, os níveis de brilho são ótimos para quase qualquer tipo de situação.

Enfim, tudo o que esperávamos ver em um dispositivo com suporte ao Dolby Vision.

Imagem: Philipe Farias / TudoCelular.com

E se no departamento de imagem é assim, não temos o que reclamar da parte do áudio. Também com suporte Dolby, os sons reproduzidos pelos alto-falantes duplos localizados em ambas as extremidades da tela trazem um som alto, bastante encorpado e com boa espacialidade, sem distorções nem mesmo nos volumes mais altos.

A ideia de optar por alto-falantes duplos, inclusive, poupa o usuário de correr o risco de abafar as saídas ao segurar o tablet durante a reprodução de algum vídeo, série ou até mesmo durante a jogatina.

Imagem: Philipe Farias / TudoCelular.com

Todo áudio ainda traz certificados Hi-Res (áudio de alta fidelidade), inclusive para dispositivos wireless compatíveis graças ao Hi-Res Wireless.

Ou seja, para quem procura um tablet para assistir aulas, séries e filmes, ou escutar música, seja com os alto-falantes embutidos, seja com um fone, o Mi Pad 5 pode ser um companheiro que supera grande parte das expectativas.

Desempenho e sistema

Equipado com 6GB de memória RAM e Snapdragon 860 de 8 núcleos, o desempenho do Mi Pad 5 passa muito longe de decepcionar. Apesar de não se equiparar a um Snapdragon 888+ – como era de se esperar, sendo quase que uma versão com esteroides do 855+, o conjunto de processamento é capaz de rodar com alguma folga grande parte das aplicações presentes na Play Store.

Imagem: Philipe Farias / TudoCelular.com

Em nossos testes, não encontramos nenhum tipo de lentidão ou travamento ao rodar alguns dos jogos mais disputados do momento. Em títulos como PUBG, a taxa de quadros se manteve alta, com movimentação bem fluída, até mesmo com os gráficos no máximo; mas é claro que pagando um preço por isso: o aumento da temperatura e o consumo mais rápido da bateria.

E por falar nela, temos aqui um bom resultado em autonomia. Em nossa experiência, o Pad 5 foi capaz de se manter, em média, quase que 20 horas longe das tomadas sob uso ininterrupto. Isso, levando em consideração o consumo de mídia com brilho e áudio no médio.

Graças ao carregador de 33 Watts embutido na caixa, a bateria foi de 0 a 100% em um pouco mais de 2 horas; resultado satisfatório se levado em consideração os 8.720 mAh de capacidade de carga.

Imagem: Philipe Farias / TudoCelular.com

Sobre o sistema, nenhuma grande novidade. Aqui, temos o Android 11 rodando sob a MIUI 12.5.7. A interface da Xiaomi em sua versão para tablets aproxima a experiência do usuário ao que vemos no iPad, não trazendo gaveta de aplicativos, mantendo uma dock fixa na parte inferior para acesso rápido de até 7 apps.

O sistema ainda traz a possibilidade de interação através da Xiaomi Smart Pen (que não vem na caixa), desbloqueio por reconhecimento facial simples – já que não há nenhum tipo de sensor biométrico, alguns apps da própria Xiaomi, como navegador, digitalizador de documentos e gravador, e a suíte WPS Office para edição de documentos; além dos já rotineiros aplicativos do Google.

Toda a interface é bem limpa, como já estamos acostumados a ver nos smartphones da marca, e não apresenta nenhum tipo de lentidão ou engasgo. Porém, é válido ressaltar que ela pode decepcionar quem procura um conjunto mais completo de opções para tablet, uma vez que se comporta, praticamente, apenas como se estivesse em celular muito grande.

Câmeras

Contando com um conjunto simples de câmeras, sendo uma de 13 megapixels na parte traseira e uma de 8 megapixels na parte frontal – sendo a traseira acompanhada de um flash LED, o conjunto é mais do que suficiente para tarefas simples, como escanear um documento ou participar de uma vídeo chamada.

Imagem: Philipe Farias / TudoCelular.com

Na verdade, os sensores embutidos, em conjunto com os recursos de software, são capazes de superar o conjunto fotográfico de boa parte dos smartphones de entrada vistos no mercado, sendo ótimos para um tablet.

Além de contar com os recursos de HDR e reconhecimento inteligente de cenas, o software ainda traz um modo noturno para ambas as câmeras e possibilita realizar registros em até 4K a 30 quadros por segundo na câmera traseira e FullHD na câmera frontal.

As fotos e vídeos registrados com boa luz não decepcionam, apresentando um nível aceitável de detalhe – principalmente na câmera frontal. O modo de inteligência artificial satura demais as cores em algumas cenas e o modo noturno, em boa parte das vezes, apesar de conseguir mostrar o cenário mesmo na escuridão, peca nos detalhes.

Conclusão

Comercializado oficialmente no Brasil por valores que rondam a faixa dos R$ 4.299 – isso para a versão de 128 GB que temos em mãos, por esse preço, o tablet da Xiaomi pode não ser considerado a melhor opção em custo-benefício do mercado nacional.

Isso, pois por esse valor já é possível encontrar dispositivos de outras fabricantes com dimensões equiparadas e desempenho igual ou superior, como é o caso do Galaxy Tab S7, atual tablet topo de linha da Samsung.

Imagem: Philipe Farias / TudoCelular.com

No entanto, esse quadro muda completamente de figura quando levantamos a possibilidade de importação. Em grandes lojas como a Aliexpress, o Xiaomi Mi Pad 5 pode ser encontrado por valores que rondam a casa dos R$ 1.700 (fora as taxas de importação), o que deixa a sua proposta muito mais interessante em relação a concorrência.

Aqui, temos um conjunto bem completo de especificações, com ótimo desempenho, envolto em uma boa construção, e apesar da ausência de um detalhe ou outro, como uma tela AMOLED ou um sensor biométrico, para casos de importação ou de uma ótima promoção, podemos dizer que o modelo da gigante chinesa é imbatível no quesito custo-benefício.

Prós e contras

Bom desempenhoÓtimo para consumir mídia Boas câmeras para um tabletBoa autonomia
Não tem um sistema de biometriaNão possuir versão com suporte a LTEInterface do sistema poderia se adaptar melhor ao tablet

Mas e você, o que achou do tablet da Xiaomi? Conta para a gente aqui nos comentários! Ah, e antes que eu esqueça, os melhores preços para o Mi Pad 5 você pode encontrar nos cartões abaixo. Até a próxima!


34

Comentários

Xiaomi Mi Pad 5: tablet tem bom custo-benefício, mas com ressalvas | Análise / Review
Economia e mercado

Vídeo gravado por passageiro mostra interior de aeronave após acidente no Japão; assista

Android

Celular com a melhor bateria! Ranking TudoCelular com todos os testes de autonomia

Android

Celular mais rápido! Ranking TudoCelular com gráficos de todos os testes de desempenho

Economia e mercado

Motorola lança primeira conta digital do mundo integrada a um smartphone