LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

FIFA 21: novos detalhes que fazem toda a diferença | Análise / Review

13 de novembro de 2020 8

No começo de outubro, o FIFA 21 foi lançado aos jogadores de plataformas como PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC – via Steam e Origin. O novo game da EA Sports consiste na versão anual criada regularmente pela desenvolvedora, para atualizar elencos, times licenciados e inserir novos recursos.

Mas quais são as novidades para o game que chegou neste final de 2020? O TudoCelular fez o teste para contar a você todas as informações:

Foco nos detalhes

Os gamers que não estão acostumados com a franquia FIFA falam que o jogo não sofre mudanças com o passar do tempo. Afinal, o que se pode alterar em uma partida de futebol, não é mesmo? Mas, na prática, não funciona bem assim. Novas mecânicas, mudanças na velocidade das partidas e aprimoramentos de defesa/ataque são comuns conforme passam as versões do jogo. Só que, desta vez, o foco da Electronic Arts foi outro.

O arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe (1886-1969) ficou famoso por várias de suas frases, que se espalharam para todo o mundo. Uma delas dizia: “Deus está nos detalhes”. E parece que a EA Sports se inspirou nisso para formular o FIFA 21.

Imagem: Rafael Barbosa / TudoCelular.com

Sem novos modos de jogo em relação ao FIFA 20, a atenção aqui ficou voltada a inserir novidades menores, mas que fazem toda a diferença no jogo. Uma delas é na possibilidade de controlar a direção do jogador que vai receber um passe, por exemplo. Ao tocar a bola para alguém, agora dá para – com o analógico direito – escolher para onde o receptor deve se direcionar ao receber a “redonda”.

Outra adição é que dá para travar o controle em algum atleta específico, mesmo quando não estiver mais com a bola. Assim, dá para continuar correndo enquanto controla os demais jogadores com o analógico direito até ter a bola de volta.

A EA também atualizou alguns itens de regras do jogo real, como a possibilidade de os jogadores de linha ficarem dentro da área na hora de o goleiro cobrar o tiro de meta – ou seja, menos chance de perder a posse na saída de bola.

Caso você queira disputar contra a Inteligência Artificial, poderá perceber que a CPU está mais avançada em seus movimentos, em especial no nível Lendário. Ela começa um pouco mais contida, depois avança e mostra mais estratégia seja para entender o adversário na hora de atacar, ou para se postar bem na defesa. Você até pode se sentir jogando contra um ser humano.

Recursos principais permanecem

Nas demais habilidades dos jogadores, você pode sentir um jogo com poucas modificações na velocidade – com aceleração mais demorada, mas rapidez maior no embalo da corrida – e mais movimentos dos jogadores – seja em um domínio de bola ou no chute.

As mecânicas de bolas paradas continuam. Bom para as faltas e os escanteios, mas péssimo para os pênaltis. A alteração aplicada no FIFA 19 ainda demanda um treinamento do player para entender como cobrar corretamente, já que não é difícil você mandar a bola muito para fora nesse formato atual.

E aí está um erro da EA Sports: se o pênalti foi feito para facilitar o gol de quem sofreu a infração, dificultar o tento significa beneficiar o infrator. Ter um molde de cobrança complexo e um de defesa mais simples resulta em nem sempre ser um grande benefício a marcação da penalidade máxima.

Substituição: sai Tiago Leifert, entra Gustavo Villani

Uma das mudanças mais visíveis na versão brasileira do FIFA 21 foi a substituição na narração. Saiu Tiago Leifert – que ficou do FIFA 13 ao 20 – e entrou Gustavo Villani – locutor da TV Globo e do SporTV/Premiere. Nos comentários, segue Caio Ribeiro.

A troca deu um efeito diferente na experiência. Com Leifert – que não é narrador na vida real e tem sua imagem vinculada ao mundo dos games –, ouvir o FIFA dá mais cara de um jogo de videogame.

Já a presença de Villani, que exerce a função no mundo real, dá um tom mais parecido com uma partida de verdade. É uma forma de contribuir para você olhar curtir o game com um gostinho de realidade.

VOLTA Football

O VOLTA Football foi lançado no FIFA 20 para os nostálgicos do FIFA Street, mas sem muitas funcionalidades que havia no clássico futebol de rua da EA. Para a edição FIFA 21, a desenvolvedora não mudou a mecânica das partidas.

A novidade aqui ficou para a presença de mais quadras – inclusive, agora com uma no Brasil – e do cooperativo online VOLTA Squads. Apesar de ainda faltar muito para a perfeição, este modo certamente vai te divertir bastante, por ser uma forma de “sair do comum” em uma partida futebolística.

Os jogos são mais dinâmicos, enquanto as regras alternativas dão um “gostinho” diferente a mais. Mas estão longe do que oferecia o FIFA Street.

Outros modos

A Electronic Arts ainda aplicou algumas novidades nos demais modos de jogo. O FIFA Ultimate Team agora tem outra maneira de jogar com os amigos, além de ter a possibilidade de ganhar prêmios – o chamado FUT Co-Op.

Já o Modo Carreira ganhou o “Plano de Desenvolvimento”, para escolher um caminho a ser trilhado para o jogador de uma determinada posição. Um lateral, por exemplo, pode escolher ser alguém que ataque mais, ou fique apenas na defesa, ou até que saiba atuar do lado oposto.

Caso queira iniciar uma campanha como Manager, agora é possível optar pela “simulação rápida” de alguma partida, para evitar gastar mais tempo ao longo do progresso para gerenciar a equipe.

Gráficos

O visual não apresentou muitas mudanças do que já havia no FIFA 20. É possível notar mais detalhes atualizados nos estádios e a torcida com traços mais reais. Mas nada que vá além disso.

Talvez, a grande melhoria nos gráficos fique perceptível apenas nos consoles de nova geração – Xbox Series X e PlayStation 5 – ou para o ano que vem, com os recém-lançados videogames já consolidados no mercado. Ocorreu o mesmo na transição da geração anterior.

Imagem: Rafael Barbosa / TudoCelular.com

Uma característica mantida foi utilizar os pacotes gráficos de ligas licenciadas, quando dois times do mesmo país jogam juntos. Os GCs oficiais da UEFA Champions League e da Conmebol Libertadores também seguem presentes.

Considerações finais

FIFA 21 busca aprimorar a experiência de jogo com base em acrescentar detalhes para tornar o game mais completo e realista. Desta vez, a EA preferiu não mudar mecânicas já estabelecidas e focou em adições pequenas, mas significativas para quem conhece e é jogador de FIFA ao longo dos anos.

Os gráficos são praticamente os mesmos, porém a experiência ficou melhor com os novos comandos dentro das partidas. A possibilidade de dar comandos também a jogadores que não necessariamente estão com a bola no momento abre um leque de estratégias para chegar até o gol.

A manutenção da Liga dos Campeões e da Libertadores são bons atrativos, mas – no caso deste último – os jogadores ainda sofrem com a falta de times com jogadores licenciados – em especial, os brasileiros.

Já o VOLTA Football se destaca pelas novas quadras, apesar de ainda faltar muito para chegar no que era possível obter com o FIFA Street. A EA Sports deixou passar uma oportunidade de dar uma melhorada no seu novo modo de futebol de rua.

E para falar mais especificamente sobre o Brasil, foi um golaço da EA colocar a narração de Gustavo Villani. Dá um tom de jogo real, para quem já está acostumado a acompanhá-lo na televisão, fora que o próprio locutor conseguiu encaixar sua voz com o mundo dos jogos eletrônicos.

Mais detalhes na jogabilidadeIA mais inteligenteNovos modos cooperativosNarração do Gustavo Villani
Pênaltis com mesma mecânicaGráficos sem grandes mudançasMuitos times não-licenciadosPreço

Vale a pena?

Se você é jogador do FIFA 19 ou antecessores, ir direto ao FIFA 21 é uma mudança considerável e positiva. Você sentirá melhorias na jogabilidade em praticamente todos os jogos, além de ter o VOLTA Football como novidade.

Por outro lado, se você ainda estiver no FIFA 20, talvez compense esperar um pouco mais para aproveitar alguma promoção futura e fazer o upgrade. Pagar R$ 300 para ter a versão de console – mesmo com o cross-gen para a nova geração – ou de PC parece ainda um valor que pese no bolso dos consumidores.

A recomendação é ficar atento a promoções – principalmente neste período de Black Friday e fim de ano – para fazer a mudança com condições econômicas mais satisfatórias. E para te ajudar, você pode conferir algumas ofertas de mídia física logo após o texto.

O que você achou das novidades inseridas pela EA Sports no FIFA 21? Compartilhe conosco a sua opinião!

*A Electronic Arts, por meio da assessoria MileniumGroup, forneceu uma cópia do “FIFA 21” para PC – via Origin – ao TudoCelular para análise.


8

Comentários

FIFA 21: novos detalhes que fazem toda a diferença | Análise / Review
Tech

Coronavírus: Brasil chega a 168.613 mortes em 6.020.164 casos confirmados | Relatório diário

Android

Melhor celular ou smartphone: TOP 10 para você comprar | Setembro 2020

Apple

Agora tem widgets? iOS 14 e todas as suas novidades | Hands-on em vídeo

Tech

De Peste Antonina à Covid-19: pandemias que abalaram o mundo | Detetive TudoCelular