LOADING...
Faça login e
comente
Usuário ou Email
Senha
Esqueceu sua senha?
Ou
Registrar e
publicar
Você está quase pronto! Agora definir o seu nome de usuário e senha.
Usuário
Email
Senha
Senha
» Anuncie » Envie uma dica Ei, você é um redator, programador ou web designer? Estamos contratando!

Realme 7 e Realme 7 Pro querem tirar a rainha Xiaomi do trono | Hands-on em vídeo

15 de novembro de 2020 46

Pelo menos alguma novidade minimamente boa nós podemos dizer que tivemos em 2020. A Realme está chegando ao Brasil. Sim, se em 2019 recebemos a Xiaomi, agora é a vez de outra marca conhecida pelo seu bom custo benefício aportar por aqui.

Ela ainda não começou a vender seus aparelhos em território nacional, mas já sabemos de alguns que vão ser lançados e preparamos um hands on. Hoje vamos falar do Realme 7 e Realme 7 Pro, que foram lançados lá fora há pouco tempo.

Quer ficar sabendo desde já se são celulares interessantes para sua lista de desejos? Então acompanhe esse hands on aqui no TudoCelular.com.

Índice do hands-on

Design e construção

O visual desses dois aparelhos não sai muito do comum, e eles acabam se parecendo com a maioria dos celulares à venda por aí. O pequeno diferencial fica na traseira, onde uma faixa que pega todo um pedaço do corpo muda a orientação do padrão visual, e eles são foscos.

Em tamanho são quase iguais, mas o Realme 7, mais simples, acaba sendo maior, mais espesso e mais pesado, até um pouco mais atrapalhado na pegada do que seu irmão mais poderoso. Na frente, um furo no canto superior esquerdo que é menor do Realme 7 Pro.

Fotos do Realme 7

Fotos do Realme 7 Pro

O acabamento é todo em plástico nos dois, com proteção contra respingos presente apenas no 7 Pro. Eles passam um ar de boa qualidade, e enquanto o Realme 7 traz sensor biométrico na lateral, junto do botão de energia, o do 7 Pro fica abaixo da tela.

As câmeras ficam em um módulo retangular, já esperado, que é mais comprido e baixo no 7 e mais alto no Realme 7 Pro. Eles são dual SIM com slot dedicado para o microSD.

75.4 x 162.3 x 9.4 mm
6.5 polegadas - 2400x1080 px
74.3 x 160.9 x 8.7 mm
6.4 polegadas - 2400x1080 px
Ir para página de comparação

Tela e som

Apesar de terem quase o mesmo tamanho e serem ambas FullHD 20:9 em Gorilla Glass 3, são duas telas bem diferentes entre si. A do Realme 7 tem 6.5 polegadas e é uma IPS com o extra de ter taxa de atualização de 90Hz.

Já o Realme 7 Pro conta com 6.4 polegadas em uma Super AMOLED, o que é uma boa para sua faixa de preço. Apesar de ter até mais bordas que o modelo mais barato, é muito brilhante e com uma ótima calibração de cores.

A tela do Realme 7 é um enorme diferencial em sua faixa de preço, e traz uma fluidez ao uso que não seria muito possível com um hardware nem tão caprichado. Fica difícil escolher entre um e outro aqui, já que os pretos dessa não são tão profundos.

O áudio ainda deve passar por mais testes até a análise final, mas temos conexão P2 em ambos. O Realme 7, embora não seja estéreo, tem bom nível. Já o modelo Pro é estéreo e entrega som bem decente.

Hardware

Se você não sabe, vai ficar sabendo agora. A Realme é uma submarca da OPPO, assim como Redmi é da Xiaomi, Honor é da Huawei. São, então marcas com aparelhos concebidos para serem bons custo benefício perdendo um pouco em acabamento mas trazendo um hardware um pouco mais caprichado.

Não temos aqui processadores deste ano, mas conjuntos interessantes que nos deixam curiosos para os testes completos que fazemos. O Realme 7 tem chipset Mediatek Helio G95 com RAM de 4 GB ou 8 GB e armazenamento de 64 GB ou 128 GB.


Seu irmão tem chipset Qualcomm Snapdragon 720G com 6 GB ou 8 GB de RAM com memória rápida de topos de linha e 128 GB de espaço. Se a Realme souber usar bem os preços no Brasil, esses serão conjuntos competitivos.

Os testes são simples ainda, e foram feitos pelos nossos parceiros italianos do HDblog, mas não vimos problemas e eles rodaram bem multitarefas e também jogos mais exigentes.

Onde você pode ver a diferença com os modelos de última geração? Ao abrir o aplicativo de fotos, na velocidade de processamento de imagens em alta resolução, abrindo os jogos ou aplicativos de navegação. Mas são momentos que não afetam a experiência geral de uso.

Em conexões, nada a reclamar. WiFi ac, NFC e GPS em ambos, com Bluetooth 5.0 no Realme 7 e 5.1 no Realme 7 Pro.

Câmeras

Como esperado, o Realme 7 Pro possui quatro câmeras traseiras, um número que agora parece ter se tornado um padrão a ser alcançado a todo custo. A principal tem sensor de 64 megapixels com f/1.8 de abertura. É acompanhado de uma ultrawide de 8 megapixels, uma macro com foco fixo de 2 megapixels e um sensor preto e branco de 2 megapixels para profundidade de campo.

O Realme 7 também tem o conjunto quádruplo, com wide principal de 48 megapixels e f/1.8 de abertura, ultrawide de 8 megapixels, uma macro com foco fixo de 2 megapixels e sensor de 2 megapixels para profundidade de campo.

Fotos tiradas com o Realme 7

No celular mais simples as fotos com a lente principal são excelentes, e surpreenderam principalmente à noite onde com uma mão pouco firme você pode tirar algumas capturas legais.

A câmera ultrawide dele também é boa desde que haja luz, embora claramente possam ser vistas algumas distorções. As fotografias macro têm o problema de foco fixo, de modo que só oferecem possibilidades criativas interessantes se tiradas com cuidado à distância certa do assunto.

Com o Realme 7 Pro nossas expectativas eram mais altas, e as fotos são boas o suficiente. Não espere algo extraordinário, mas são boas se você não quiser nada em especial. Você percebe as lacunas quando as condições de luz não são simples, por exemplo com fortes contrastes de luz ou em baixa iluminação.

Fotos tiradas com o Realme 7 Pro

Há contrastes acentuados ao invés de exagero na nitidez e cores mais quentes. À noite essa câmera faz malabarismos com o modo noturno, desde que não esteja escuro demais. As macros são satisfatórias, e as fotos com a ultrawide são boas para lembranças e registros corriqueiros, mas nada muito mais do que isso.

Fazem vídeo a 4K em 30 fps e trazem estabilização eletrônica. As selfies de 32 megapixels do Realme 7 Pro agradaram, mas trazem um efeito de desfoque que cria um halo de luz que aparece mesmo durante um dia de sol.

No Realme 7 os selfies são decentes graças ao sensor de 16 megapixels, e há muitas opções para melhorar a aparência como em todos os produtos chineses. Na frontal, os dois fazem vídeo em FullHD a 30fps.

Bateria

Se a tela de 90Hz é o destaque do Realme 7, é na bateria que está o diferencial do Realme 7 Pro. São 5.000 mAh no modelo mais simples e 4.500 mAh no 7 Pro. Não parece nada especial, mas o pulo do gato está no recarregamento.

Usando a fonte de alimentação fornecida na embalagem e seu cabo, você pode recarregar o Realme 7 Pro de 0 a 100% em 34 minutos, testado e confirmado. A tecnologia se chama SuperDart e impressiona. E isso em um smartphone supostamente custo benefício, sendo o grande destaque do Realme 7 Pro.

Isso funciona por causa de todos os elementos envolvidos. A fonte de alimentação, o cabo, a bateria do smartphone, todos têm sensores de temperatura e um chip dedicado ao gerenciamento de carga.


A bateria é dividida em dois, e só usando exatamente esses elementos você tem essa velocidade, sem superaquecer o aparelho. Quem acaba esquentando é a fonte. No Realme 7 o carregador é de 30W e leva o smartphone de 0 a 50% em pouco mais de 25 minutos.

Eles ainda vão passar por nossos testes padronizados, mas os nossos parceiros do HDblog resultados iniciais de aproximadamente 7 horas de tela no Realme 7, com uns dois dias de uso cuidadoso (ele ser grande tem algum motivo) e 6 horas no Realme 7 Pro, números normais para a categoria.

Sistema

Android 10 e sistema fluido, esse é um resumo desses dois celulares com a interface Realme UI. É uma interface fortemente baseada na Color OS da OPPO, e por isso traz toda aquela cara mais colorida e cheia de funções de interfaces chinesas.

Apesar de algumas traduções imprecisas e um pouco de confusão nos menus, eles trazem inúmeras possibilidades de personalização, modo escuro, clonagem de aplicativos, vários métodos de navegação e gestos, barra lateral com atalhos para aplicativos e ações, display Always On, modo jogos, sem bloatwares ou anúncios e boa estabilidade.

Considerações finais

Lá fora esses aparelhos chegaram a preços agressivos que começam em pouco menos de 1.200 reais. Aqui, com dólar alto, a perspectiva não é boa, mas eles parecem determinados a brigar com a Xiaomi, que têm trazido valores bastante chocantes ultimamente. Eles só farão sucesso aqui se investirem em preço.

A ideia geral da Realme com esses aparelhos é manter o custo benefício trazendo um ou outro recurso premium como diferencial. O Realme 7 Pro conta com tela Super AMOLED e o carregamento rápido a 65W, enquanto o Realme 7 tem tela LCD de 90Hz.

Não são muitos extras especiais, mas são o suficiente para atrair alguém que não pode gastar muito e vai escolher o recurso premium que não encontra em concorrentes da mesma faixa. Resta saber a quanto chegarão no Brasil, mas dá para dizer que não estamos muito confiantes.

Se o custo benefício for bom, nossas análises iniciais indicam que estes são dois ótimos aparelhos para competir com marcas consolidadas por aqui. Vamos esperar os testes completos!

Mais Notícias
Mais Notícias

E você aí? Está considerando um Realme agora no final do ano? Só está esperando os preços? Qual a sua aposta de quanto irão custar, deixa aí embaixo!

  • O Realme 7 Pro ainda não está disponível nas lojas brasileiras. Para ser notificado quando ele chegar clique aqui.
  • O Realme 7 ainda não está disponível nas lojas brasileiras. Para ser notificado quando ele chegar clique aqui.

46

Comentários

Realme 7 e Realme 7 Pro querem tirar a rainha Xiaomi do trono | Hands-on em vídeo

Galaxy Z Fold 2: dobrando melhor do que você esperava | Hands-on em vídeo

Moto G9 Plus vs Moto G8 Plus: uma nova geração realmente evolui? | Comparativo

Galaxy A20s vs A21s: vale trocar ou ir direto no mais novo? | Comparativo

Galaxy M31 vs LG K61: qual o melhor celular intermediário barato? | Comparativo